Parceria prevê "Roubo Zero" de cargas no Arco Metropolitano | Diário do Porto

Infraestrutura

Parceria prevê “Roubo Zero” de cargas no Arco Metropolitano

Arco Metropolitano tem sido evitado por motoristas devido à sua insegurança e violência. Projeto Arco Seguro, idealizado pela Firjan, articula melhorias na rodovia

3 de março de 2021
Governador em exercício, Cláudio Castro assina acordo para melhorias no Arco Metropolitano


Compartilhe essa notícia:


Importante trecho para o transporte de cargas no Estado, o Arco Metropolitano (BR-493) é conhecido como a “Rodovia do Medo”. Para mudar esse cenário, a Firjan, o Governo do Estado e a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) firmaram acordo para viabilizar o índice zero de roubo na estrada. A assinatura foi nessa terça-feira 2.

A rodovia BR-493 liga o Porto de Itaguaí a Itaboraí e atravessa também Guapimirim, Magé, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Japeri e Seropédica. São 145 quilômetros, um importante corredor logístico de carga para o Estado. Mas o que era promessa de prosperidade se tornou alvo para roubo de cargas, vandalismo e furtos de postes de energia elétrica.

O compromisso terá vigência inicial de 12 meses, e a cooperação se dará por meio do intercâmbio de informações e da elaboração de estudos técnico-científicos destinados a garantir o funcionamento eficiente da via.

Eduardo Eugenio Firjan
Parceria promete viabilizar melhorias para o Arco Metropolitano (Fotos: Divulgação/ Firjan)

Projeto Arco Seguro

Em janeiro, a Firjan elaborou o Projeto Arco Seguro, que previa a construção de uma parceria público-privada para viabilizar o potencial logístico da rodovia. A federação identificou necessidades de infraestrutura mínimas, emergenciais e indispensáveis ao funcionamento pleno, eficiente, seguro e permanente do Arco (iluminação, assistência veicular, socorro a acidentes, entre outras).

“É imprescindível, para esta retomada, garantir a segurança nesta que é uma das rodovias mais importantes para a economia fluminense”, avaliou Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, presidente da Firjan.


LEIA TAMBÉM

Coalizão Rio lançará portal no Fairmont Copacabana

Nissan faz novos investimentos na fábrica de Resende

Firjan SESI: 2.970 vagas gratuitas no Pré-ENEM no RJ


Corredor logístico

Entre as várias dimensões de atuação do Arco Seguro, está a necessidade de integração entre as forças de segurança federais, estaduais e municipais, que permita o mapeamento constante das irregularidades e ações para mitigá-las.

Arco Metropolitano
Arco Metropolitano é chamado de “Rodovia do Medo” pelo roubo de cargas (Fotos: Divulgação/ Firjan)

Segundo o governador em exercício, Cláudio Castro, uma das metas é zerar, até o fim do ano, o roubo de carga. Ele também garantiu fortalecer o diálogo com as lideranças da região e “criar uma força-tarefa para destravar a economia local e gerar emprego e renda” para a região.

O deputado estadual André Ceciliano, presidente da Alerj, ressaltou a importância do Projeto Arco Seguro, elaborado pela Firjan. “Trata-se de uma importante rodovia, capaz de atrair investimentos em indústria e logística, com geração de emprego e renda aos oito municípios às suas margens e também à Zona Oeste do Rio de Janeiro”, enfatizou.