Pandemia é um dos temas de evento no Centro Cultural Justiça Federal | Diário do Porto


Evento

Pandemia é um dos temas de evento no Centro Cultural Justiça Federal

No Mês das Mulheres, Centro Cultural Justiça Federal realiza evento que debate temas como pandemia, violência e empoderamento feminino

24 de fevereiro de 2022

A médica Margareth Dalcomo participa de evento no CCJF (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Compartilhe essa notícia:


O Centro Cultural Justiça Federal realiza, entre 7 e 9 de março, a quinta edição do Encontro Mulher, Poder e Democracia. Após dois anos do surgimento do Covid-19, o evento traz uma mesa on-line sobre este assunto com a presença da infectologista Margareth Dalcomo, médica da Fiocruz que ganhou notoriedade ao se tornar umas das principais vozes contra o negacionismo do Governo Federal no enfrentamento à pandemia. Dalcomo conversará com as juízas federais Silvia Arruda e Adriana Cruz sobre as consequências e o saldo de aprendizado em dois anos de epidemia.

O tema das mulheres em situação de encarceramento está presente em uma mesa e em ação inédita no circuito artístico do Centro Cultural Justiça Federal. Vinte e cinco detentas do Instituto Penal Oscar Stevenson farão uma visita orientada à exposição “Ausência – Correspondência Fotográfica” em cartaz no local com a presença da artista Nana Moraes e do curador Milton Guran, que conversarão com elas sobre a mostra, produto de uma longo processo de pesquisa e convívio com as detentas da penitenciária feminina Presídio Nelson Hungria, Complexo de Gericinó, no RJ. Esta atividade será fechada ao público e resulta de uma parceria entre Secretaria Estadual de Administração Penitenciária- SEAP. Já a visita orientada, aberta ao público, acontece no dia 8, às 14h, também com a presença da artista e do curador.

Ainda sobre a temática das mulheres em situação de encarceramento, no dia 8 a desembargadora federal e diretora-geral do CCJF, Simone Schreiber, coordena um debate com Caroline Bispo, cofundadora e diretora-presidente da Associação Elas Existem, Daniela Chindler, coordenadora do projeto “Histórias além muros”, da autora Paula Maracajá, artista, curadora e ativista.

Na sequência, o debate é sobre as lutas femininas na arte e traz a atriz e cineasta Ana Maria Magalhães, diretora e produtora do filme “Já Que Ninguém Me Tira Para Dançar”, cinebiografia da icônica Leila Diniz, juntamente com a artista visual Laura Lima,  a curadora adjunta de arte brasileira no MASP, Sandra Benites Guarani Nhandewa e a professora e pesquisadora Luiza Interlenghi, que fará a mediação.

No dia 9 de março, às 17h, o CCJF recebe a professora, pesquisadora em Direito Penal e a advogada feminista Luciana Boiteux; Deise Benedicto, mestre em Direito e Criminologia da Universidade de Brasília e ex-perita do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura e Ana Paula Oliveira, cofundadora e coordenadora do Movimento Mães de Manguinhos para pensar as mulheres na luta política.

O evento conta ainda com apresentação de poemas e o debate “Escrita por Mulheres” que acontece no dia 9, às 18h30 com Claudia Roquette Pinto, Valentine Pimenta, Solange Padilha, Eva Potiguara, que reside em Natal e Ellen Lima, residente em Braga-Portugal. A mediação é de Elaine Pauvolid Hamburger, diretora cultural do CCJF.

Serviço

Centro Cultural Justiça Federal

“Encontro Mulher, Poder e Democracia”

Avenida Rio Branco 241, Centro – Rio de Janeiro, RJ

7 a 9 de março

Valor: gratuito

Classificação Indicativa: livre

Locais:

On-line: canal YouTube CCJF

Confira a programação completa do evento clicando aqui


LEIA TAMBÉM:

Moradores da RM do Rio são os que mais vivem em apartamentos no País

Rio poderá ter 2 cassinos, prevê projeto de lei

Grupos estrangeiros investem mais de R$ 1 bilhão em Vasco e Botafogo

 

 

 


/