Palacete no Parque da Cidade reabre após 10 anos | Diário do Porto


História

Palacete no Parque da Cidade reabre após 10 anos

Fechado por 10 anos, Solar do Marquês de São Vicente, tem exposição de longa duração com 482 peças do acervo de 24 mil itens do museu

19 de maio de 2021

Antiga propriedade do Marquês de São Vicente, Museu Histórico da Cidade, na Gávea, é reaberto após 10 anos (Foto: Divulgação: Prefeitura)

Compartilhe essa notícia:


Moradores e turistas ganharam mais um espaço de visitação gratuita na semana dedicada ao Dia Internacional dos Museus (18). Antiga propriedade do Marquês de São Vicente, o Palacete do Museu Histórico da Cidade, localizado no Parque da Cidade, na Gávea, zona sul carioca, foi reaberto depois de 10 anos fechado para obras de recuperação.

A retomada será marcada por uma exposição de longa duração com 482 peças do acervo de 24 mil itens do museu desde estandartes do século XIX, aquarelas de Debret e gravuras de Thomas Ender até os planos para a abertura da Avenida Central e objetos do dia a dia dos moradores do Rio.

O solar do início do século XIX teve o interior e a fachada restaurados. O projeto básico de reforma foi desenvolvido pela Rio-Urbe, que contratou e fiscalizou a obra do museu, orçada em cerca de R$ 4 milhões. A sede principal e a capela foram totalmente restauradas e o casarão, adaptado para deficientes físicos com a inclusão de um elevador e rampas de acessibilidade.

 


LEIA TAMBÉM

Museu Nacional lança site para público acompanhar a reconstrução

Docas quer usar Museu do Amanhã para pagar dívida

Centro Cultural Light comemora 27 anos com exposição do Rio antigo


 

 

“É um espaço muito importante não só para a zona sul e para o entorno, que envolve os moradores da Gávea e da favela Vila Parque da Cidade, mas para todo o Rio, que terá acesso novamente ao acervo, patrimônio e um espaço de cultura, seguindo todos os protocolos de segurança”, afirmou o secretário municipal de Cultura, Marcus Faustini.

Volta às atividades culturais

Segundo a prefeitura do Rio, a reabertura do museu marca a retomada gradual das atividades ao público nos equipamentos culturais, respeitando os protocolos sanitários. Por conta da pandemia de Covid-19, haverá controle do número de visitantes, restrito a grupos de 15 pessoas por vez.

Na reinauguração, o prefeito Eduardo Paes afirmou que vai apostar na cultura como principal fator de retomada do desenvolvimento e de renascimento do Rio. “Os moradores vão poder frequentar, fazer daqui um programa, aprendendo a história do Rio e também convivendo neste local que é a cara da cidade”, disse Paes.


/