Paes adverte investidores a evitarem Santos Dumont, se edital não mudar | Diário do Porto


Economia

Paes adverte investidores a evitarem Santos Dumont, se edital não mudar

Em entrevista ao Globo, Paes diz que se o edital não proteger interesses do Rio investidor que ganhar a licitação não terá “vida fácil” com a Prefeitura

4 de fevereiro de 2022

Paes afirma que pode ir até o "limite do limite" para defender Galeão (foto: Agência Brasil / Tânia Rêgo)

Compartilhe essa notícia:


Em entrevista ao jornal O Globo, o prefeito Eduardo Paes deu um duro recado aos possíveis interessados na licitação do Aeroporto Santos Dumont. O chefe do executivo municipal avisou que, se não houver mais alterações no edital do leilão, além da retirada dos aeroportos mineiros do bloco, é melhor que nem entrem na disputa, pois não terão “vida fácil com a Prefeitura do Rio”. Disse também que pode ir até o “limite do limite” para proteger o Galeão.

Paes considerou uma vitória que o aeroporto seja leiloado isoladamente dos deficitários terminais mineiros. Mas para ele apenas isso não basta. O prefeito segue defendendo a limitação de voos no aeroporto do Centro do Rio para evitar o enfraquecimento e esvaziamento do Internacional Tom Jobim. “O Galeão tem importância estratégica e econômica para a cidade. Deve ser priorizado. O Santos Dumont é charmosinho, tem lindo visual. É muito fofo, mas não pode ser o que norteia as decisões” disse Paes.

O Prefeito informou que manterá a representação enviada ao TCU questionando os termos do edital defendido pelo Governo Federal que possibilitam o incremento de voos no Santos Dumont, inclusive vindos do exterior. Paes afirma que já tem audiência virtual marcada com o ministro Walton Rodrigues para discutir o assunto.

Paes ameaça tornar vida de investidores “um inferno”

Ele espera que o bom-senso prevaleça. Mas não descarta ir até o que chamou de “limite do limite” para defender os interesses da cidade e do Galeão na licitação. “É um recado muito claro aos (investidores) privados que, se não tiver um edital que proteja os interesses do Rio de Janeiro, o recado que deixo é que não entrem nessa concessão e nessa licitação porque a vida deles não vai ser fácil com a Prefeitura do Rio. Dou um jeito de tornar o acesso ao Santos Dumont um inferno para quem quiser chegar lá” ameaçou Paes.

O prefeito disse que recorreria às ferramentas que o poder público dispõe para isso, como licença ambiental, mobilidade (trânsito), legal (Justiça) e institucional. Porém, Paes ainda acredita no diálogo e que o Grupo de Trabalho (GT) criado para reformular o edital chegue a um consenso.

Na última reunião do grupo, realizada na quarta-feira, a representação fluminense voltou a insistir na necessidade limitação do número de voos e passageiros para o Santos Dumont. Hoje a capacidade do terminal é de nove milhões/passageiros ano. O Governo Federal quer aumentá-la para 14 milhões. O Rio defende que seja limitada a sete milhões. Os debates continuam até o próximo dia 19, data prevista para encerramento dos trabalhos do colegiado.


LEIA TAMBÉM:

Universidade de Vassouras promove curso de Gestão em ESports

China investe em ponte na Bahia que aumenta 80%

Empresários projetam que economia só volta ao normal em 2023

 


/