A omissão do poder público e o avanço do coronavírus | Diário do Porto

Editorial

A omissão do poder público e o avanço do coronavírus

Moradores e turistas aglomerados sem a presença de autoridades para exigir máscaras ou alertar a população: caminho aberto para o coronavírus

17 de março de 2021


Ausência de autoridades para combater contágio nas praias é preocupante (Deposit Photos)


Compartilhe essa notícia:


Editorial

As praias da Zona Sul do Rio ficaram lotadas no último fim de semana. Música ao vivo nos quiosques, pessoas bebendo e dançando como se não houvesse amanhã, ambulantes aglomerados, a maioria passeando ou trabalhando nos calçadões sem usar máscaras contra o coronavírus.

Não se viam policiais, guardas municipais, autoridades sanitárias, avisos sonoros, cartazes ou panfletos para exigir o anteparo no rosto ou alertar contra aglomerações. O domingo ainda contou com uma manifestação política em Copacabana, com grande parte dos militantes sem equipamentos de proteção.

Deus queria que o preço a ser pago pela população como consequência da omissão das autoridades não seja tão alto como sugere a lógica.

O povo não escolhe um governante para ser simpático ou benevolente, mas para tomar as atitudes corretas na proteção da saúde, da educação e do ganha-pão de seus governados. O mundo já aprendeu que não há caminho mais curto para a retomada da economia do que o enfrentamento corajoso ao coronavírus.

O Brasil chegou à triste liderança na média de mortos pela pandemia no mundo, e o Rio de Janeiro não tem qualquer motivo para imaginar que esteja imune ao risco de colapso do sistema hospitalar que ameaça o país.

O Estado do Rio de Janeiro já perdeu mais de 34 mil vidas para o coronavírus, grande parte na capital. São mais de 34 vezes a quantidade de mortos na maior tragédia natural da história do Brasil, na Região Serrana, há dez anos. E sem a menor perspectiva de que estejamos chegando ao fim dessa contagem desesperadora.

Espera-se que o poder público se faça mais presente nas praias e outras áreas de aglomeração não só no próximo fim-de-semana, mas em todos os outros dias, até que viremos essa página infeliz da nossa história.

Mais responsabilidade, excelências.

 


Leia também:

Jovens agitam cidades brasileiras pela Emenda de Kigali

Fecomércio RJ reforça ação contra a pandemia

Aumentam demolições de construções ilegais no Rio