Oficina gratuita para agentes culturais afro oferece 60 vagas

Museu da Escravidão e da Liberdade e Secretaria Municipal de Cultura abrem inscrições para oficina de agente cultural carioca, destinada à população afro que possui projetos culturais. Serão cinco aulas, começando no dia 18 de setembro

Jardim Suspenso do Valongo (1)
A forte herança africana da Região Portuária é explorada em curso para formação de agentes culturais (Foto: Divulgação)

A forte herança cultural africana presente na Zona Portuária abre oportunidades para muitos empreendedores das áreas de cultura, entretenimento e turismo. Um exemplo são os roteiros culturais que envolvem pontos que revelam a forte presença africana na região, como a Pedra do Sal e o Cais do Valongo. A efervescência cultural afro na região serviu de inspiração também para um ciclo de oficinas gratuitas de formação de agentes culturais, que acontece este mês no Museu da Escravidão e da Liberdade.

Promovido pela Secretaria Municipal de Cultura, através da Coordenadoria de Promoção das Políticas de Igualdade Racial, o curso Agente Cultural Carioca tem como objetivo capacitar, prioritariamente, a população afro da cidade com relação às políticas culturais.

Serão cinco aulas com temas como Turismo de Território, Formação das Políticas Públicas da Cidade, Driblando o Racismo Estrutural e Mercado Cultural: entre a apropriação e a mediação. A primeira aula sobre “Produção Cultural a partir da Herança Africana”, que acontecerá no dia 18 de setembro, será ministrada pela secretária Municipal de Cultura Nilcemar Nogueira. Também serão oferecidos workshops e palestras, como forma de complementação da formação.

Veja também:

Pequena África deve ganhar circuito histórico e arqueológico

Mais sobre o curso

O módulo ‘Cenário da Cultura do Rio de Janeiro’ será o primeiro de três módulos independentes. Os próximos abordarão temas como os diferentes modelos de projetos de fomento para a formatação técnica de projetos culturais e seu melhor rendimento junto ao mercado e a formação de uma proposta na prática. Os certificados serão emitidos em parceria com o Laboratório de História Oral (LABHOI/UFF) mediante presença em, no mínimo, 80% das aulas.

As aulas serão ministradas às terças e quintas-feiras, às 18h. As inscrições podem ser realizadas pelo e-mail mel.inscricao@gmail.com. O interessado deve escrever um resumo de, no máximo, cinco linhas sobre o seu projeto cultural. O resultado será divulgado nas redes sociais do Museu da Escravidão e da Liberdade e no site da Secretaria Municipal de Cultura. Mais informações pelo telefone 2233-7754.

Confira a programação:

18/9 – A Política Cultural e o Terceiro Setor: Nilcemar Nogueira (secretária de Cultura do Município do Rio de Janeiro)

20/9 – Turismo de Território: Carla Marques (pesquisadora do Instituto dos Pretos Novos)

25/9 – Formação das Políticas Públicas da cidade do Rio de Janeiro: Lia Calabre (presidente da Fundação Casa de Rui Barbosa)

27/9 – Driblando o racismo estrutural: Licínio Januário (diretor do Teatro Gonzaguinha)

3/10 – Mercado Cultural: entre a apropriação e a mediação: Martha Abreu (professora do Departamento de História da UFF)

Fonte: SMC-RJ

Todas as Notícias