O samba de Rita Benneditto agita Teatro Rival Refit | Diário do Porto


Música

O samba de Rita Benneditto agita Teatro Rival Refit

Jovelina Pérola Negra, Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz e Dorival Caymmi são alguns nomes do repertório da cantora maranhense que homenageia o samba do Rio e do Brasil

3 de dezembro de 2021

Rita Benneditto estreia hoje novo show no Teatro Rival Refit (divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Cantora e compositora de timbres diversos que ressaltam uma voz marcante, Rita Benneditto volta nesta sexta-feira ao Teatro Rival Refit para a estreia hoje de seu novo show ‘Samba de Benneditto”. Nesse projeto, a filha de São Benedito do Rio Preto, cidade do interior do Maranhão, aponta seu sensível olhar para o samba e sua multidiversidade.  Rita reúne 26 composições, entre sambas clássicos e autorais, em uma grande viagem pela história da cultura afro-brasileira com canções de várias épocas e estilos.

Ao longo de 25 anos de carreira, o gênero sempre esteve presente na vida e voz da cantora. “Há muito tempo eu queria dedicar um projeto ao samba, exatamente como faço nesse show com olhar personalíssimo sobre ele. E, aos poucos, fui maturando o Samba de Benneditto”, explica a intérprete, ansiosa por reencontrar seus fãs depois de meses de isolamento forçado pela pandemia.

“Samba de Benneditto” visita as diversas vertentes do ritmo, como o de terreiro, de roda da Bahia, além de uma volta às suas raízes maranhense com o samba caboclo dos “Fuzileiros da Fuzarca” e de seu pai, Fausto Benedito. Todos são fortes reminiscências  do lugar onde nasceu e que não ficam fora do seu repertório.


LEIA TAMBÉM:

MAR lança parceria com escola de economia criativa

Em Angra, Coalizão Rio discute o futuro da Costa Verde

Comissão da Alerj aprova contas do Governo de 2020


Samba atemporal

O novo show sucede o bem-sucedido “Tecnomacumba”, considerado o divisor de águas na carreira. Traz referências históricas e atuais. Ao mesmo tempo em que resgata clássicos como “Rainha do mar”, de Dorival Caymmi (1914-2008), abre alas também à produção de nomes contemporâneos, caso de Zeca Pagodinho com “Minha fé” (Murilão da Boca do Mato), além de incluir no set list compositores de sua geração, como João Martins, de quem canta “Lendas da Mata”, e Luedji Luna, com “Banho de Folhas”. Permite-se também reencontrar faixas da própria discografia, exemplos de “Caramba, Galileu da Galileia”, de Jorge Ben Jor, gravada por ela em seu terceiro CD, “Comigo” (2001) e “O que é dela é meu” (Arlindo Cruz, Rogê, Marcelinho Moreira), faixa do disco “Encanto” (2014).

A artista também apresentará ao público três composições de sua lavra. Além da conhecida “Benneditto Seja”, cantará também a inédita “Rainha do Candomblé” e “7Marias”, do single lançado em 2018.

Serviço

 “Samba de Benneditto”

Dia 3 de dezembro, sexta-feira

19h30

Teatro Rival Refit

Rua Álvaro Alvim, 33-37 – Cinelândia – RJ

Telefone: Tel. 2240-4469

Capacidade: 350 lugares

Na entrada, todos terão temperatura aferida, e haverá dispensers de álcool 70° em gel distribuídos pelas dependências do teatro. O público só pode retirar a máscara para o consumo de bebida e comida, sentados em seus devidos lugares.

Abertura da casa: 18h30

Bilheteria:

Aberta de quarta a sexta – das 15h às 20h. Sábados e feriados – das 16h às 20h30 (somente em dias de shows)

*Na entrada, todos terão temperatura aferida, e haverá dispensers de álcool 70° em gel distribuídos pelas dependências do teatro. O público só pode retirar a máscara para o consumo de bebida e comida, sentados em seus devidos lugares.

Ingressos:                         

R$ 80,00 (Inteira)

R$ 40,00 (Estudante / Idoso / Professor da Rede Municipal / Funcionário Refit / Assinante O Globo)

R$ 60,00 (Promoção 100 primeiros)

R$ 63,20 (Promoção Santander 21)

Vendas de ingresso: https://bileto.sympla.com.br/event/64291/d/81188

Duração: 1h30

Classificação indicativa: 18 anos


/