O Rio como capital da inovação e da tecnologia | Diário do Porto


Artigo

O Rio como capital da inovação e da tecnologia

Neste artigo, Chicão Bulhões fala sobre a importância do Web Summit e de outras iniciativas em tecnologia que estão dinamizando a economia do Rio

12 de maio de 2022

Chicão Bulhões, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, diz que o Web Summit pode gerar R$ 2 bilhões para o Rio (Foto: Prefeitura do Rio)

Compartilhe essa notícia:


Chicão Bulhões
Chicão Bulhões*

 

Web Summit, o maior evento de inovação e tecnologia do mundo, anunciou na última semana que sua primeira edição na América Latina será no Rio de Janeiro. Um golaço para a cidade que tem como meta tornar-se referência nacional e mundial no assunto. Além de reassumir o protagonismo no circuito internacional de grandes eventos, o Rio ganhará ainda com a geração de empregos, novas oportunidades e desenvolvimento econômico com a atração de mais investimentos e consolidação de um ecossistema de tecnologia.

A conferência movimenta cerca de R$ 2 bilhões em novos negócios, além de atrair, pelo menos, 70 mil pessoas, de 160 países diferentes. Tudo isso sem falar nos investimentos e acordos que vão acontecer na cidade no próximo ano, até a realização do evento, que será o primeiro internacional de grande porte sobre tecnologia sediado no Brasil, e na América Latina.

Desde o seu primeiro ano, em 2016, a conferência transformou a economia de Lisboa, sua sede tradicional. De acordo com o Wall Street Journal, o Web Summit trouxe mais de 200 milhões de euros para a economia portuguesa durante a semana do evento no seu primeiro ano. Além de ter impulsionado a abertura de escritórios de grandes multinacionais, gerando milhares de empregos para a população local.

Fruto de muitas conversas, iniciadas ainda no fim de 2020, a realização do Web Summit no Rio se soma a outras importantes iniciativas municipais no setor. O Porto Maravalley – um hub que vai unir startups, o primeiro campo de graduação do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) e empresas com foco em tecnologia e inovação -, já está em andamento e deve ser concluído ainda este ano, com previsão de funcionamento para 2023.

A cidade também implementou, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação (SMDEIS), o Sandbox regulatório. Empresas e instituições que querem apresentar soluções inovadoras para problemas no Rio já podem se inscrever para testar seus produtos e serviços na prática, ainda durante a fase de desenvolvimento. Os resultados dos testes serão compartilhados com o poder público, que poderá utilizá-los para uma possível regulamentação.

Unindo a criação de oportunidades para a nova geração e a necessidade de mão de obra qualificada, lançamos também o Programadores Cariocas. A iniciativa vai formar cinco mil jovens de baixa renda, egressos do sistema público de ensino e refugiados, em programação até 2024, com prioridade para negros, mulheres e pessoas trans. Além de oferecer bolsas integrais e parciais, o programa vai conceder um auxílio de R$500 por mês e um computador, para que os participantes possam se dedicar aos estudos.

O Brasil tem uma economia de tecnologia e startups em rápida expansão, precisamos trazer essas empresas para a Cidade Maravilhosa. Seguimos firmes na missão de tornar o Rio de Janeiro a capital da inovação e da tecnologia, retomando o protagonismo que a capital merece e que nunca deveria ter perdido. Com muito trabalho e investimento, a nossa cidade está voltando a dar certo.

 

* Chicão Bulhões é advogado e ex-secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação