O lento reaquecimento do mercado imobiliário do Rio | Diário do Porto


Imóveis

O lento reaquecimento do mercado imobiliário do Rio

Mercado imobiliário do Rio deve fechar o ano com crescimento de cerca de 13%. Apesar do avanço, números ainda estão muito abaixo dos registrados em 2019

18 de novembro de 2021

Mercado imobiliário do Rio deve fechar ano de 2021 com 13% de crescimento (reprodução/Imovelweb)

Compartilhe essa notícia:


O mercado imobiliário do Rio de Janeiro deve fechar o ano tendo movimentado cerca de R$ 2,55 bilhões em 2021. O número é da Pesquisa IPC Maps, especializada no potencial de consumo dos brasileiros há três décadas. O estudo aponta para uma melhora de 13% em relação ao ano passado, quando R$ 2,26 milhões em média foram gastos com compra de imóveis no estado. As informações são da coluna de Ancelmo Gois, em “O Globo”.

Apesar da evolução, o número ainda é muito inferior aos patamares pré-pandemia. Em 2019, último ano antes da crise sanitária, o setor fez girar um montante quase quatro vezes maior: R$ 9,58 bilhões. A queda foi tamanha que uma a cada nove corretoras de imóveis fluminenses fechou as portas desde a chegada da Covid-19.

Centro e Porto têm contribuído para a retomada do mercado no Rio. Só a Construtora Cury vendeu mais de 1,2 mil unidades das três torres do Rio Wonder, o primeiro condomínio residencial do Porto Maravilha. O sucesso foi tão grande que em janeiro a Cury lançara mais um empreendimento na região.

O Reviver Centro, projeto de reocupação da região central lançado pela Prefeitura no meio do ano, tem dois lançamentos em fase de venda e três pedidos de licenciamento em curso na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação, órgão municipal responsável pela concessão de licenças e alvarás para construção na cidade.

Com o Reviver Centro, a Prefeitura projeta um crescimento de cerca de 15% na população do Centro nos próximos anos, hoje estimada em cerca de 40 mil habitantes.


LEIA TAMBÉM:

Barcas retomam operação pré-pandemia

Movimento Baía Viva quer impedir novo aterro no Santos Dumont

Sesc RJ na Estrada visita a histórica Miracema