Novos empreendimentos do Porto focam nas bikes | Diário do Porto


Mobilidade

Novos empreendimentos do Porto focam nas bikes

Em sintonia com Dia Mundial Sem Carro, novos condomínios residenciais do Porto Maravilha privilegiam bikes em suas plantas e projetos

22 de setembro de 2021

No Dia Mundial sem Carro, bikes são o futuro da mobilidade no Porto (divulgação/Tembici)

Compartilhe essa notícia:


Chico Silva

Em sintonia com o Dia Mundial Sem Carro, iniciativa que busca diminuir a emissão de CO² na atmosfera e melhorar a qualidade de vida nas metrópoles, os novos condomínios residenciais do Porto Maravilha fizeram da bike a estrela de seus projetos. Alguns deles sequer terão garagem para carros.

É o caso dos residenciais de pequeno porte do Grupo Volo e do empreendedor Caio de Paula Bastos que serão erguidos no entorno da Praça da Harmonia. Com sete unidades cada, os edifícios não terão espaço para automóveis. Apenas bicicletários. Cada um dos apartamentos terá direito a uma vaga de bicicleta.

Maior empreendimento residencial do Porto, o Rio Wonder, da Construtora Cury, segue a tendência de mobilidade carbono zero. Cada uma das três torres do projeto terá um bicicletário. A planta prevê uma vaga de magrela para cada uma das 1224 unidades do condomínio. A distribuição e o uso serão decididos pelos condôminos após a entrega das chaves, prevista para o início de 2024.

Projeto mais sofisticado do pacote de novos empreendimentos da Região Portuária, o Moinho Fluminense ainda não definiu o número de vagas para bikes que terá em seu projeto residencial no histórico prédio que abrigou o primeiro moinho de trigo instalado no Brasil. Mas a Autonomy Investimentos, responsável pelo empreendimento, informou que dedicará uma grande área para bicicletas, inclusive com a instalação de oficinas para troca de pneus e reparos e vestiários com chuveiros e armários.

A Autonomy administra também o imponente Vista Guanabara, um dos primeiros condomínios corporativos da nova fase do Porto. Seus bicicletários têm capacidade para 90 magrelas. Antes da pandemia, a taxa de uso estava na casa dos 70%.


LEIA TAMBÉM:

Reconversão de imóveis tombados é aprovada na Câmara

Crise hídrica pode alavancar gás natural no Rio

Alerj regulamenta tributação para usinas termelétricas


Tembici planeja novas estações no Porto

A Tembici, startup de mobilidade responsável pelas laranjinhas do Itaú e azulzinhas do Magazine Luiza, aguarda autorização da Prefeitura para instalar mais cinco estações na área do Porto Maravilha. Hoje são oito no trecho entre a Praça Mauá e o AQWA Corporate. Para quem quer pedalar e estacionar sua própria bike há 30 pontos para ancoragem em toda Orla Conde. A Companhia Urbana de Desenvolvimento do Porto Maravilha (Cdurp), empresa municipal responsável pela gestão da Operação Urbana, informou ao DIÁRIO DO PORTO que por ora não há previsão para instalação de novos bicicletários na região.

 


/