Imóveis

Novela do edifício A Noite afinal se aproxima da venda

A guarda do edifício será transferida, em maio, para o Ministério da Economia, condição para ser leiloado. Iphan fará vistoria, após fim da quarentena

29 de abril de 2020
Edifício A noite, tombado em 2013, está mais próximo de um possível leilão

Compartilhe essa notícia:


O edifício A Noite, localizado na Praça Mauá, começa finalmente a ser preparado para a venda. A condição básica para se programar o leilão é a transferência de sua guarda para a Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União (SPU),  órgão do Ministério da Economia, saindo da responsabilidade do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Isso vai ocorrer em maio, segundo informou o Ministério ao DIÁRIO DO PORTO.

Gigante arquitetônico e histórico, o edifício foi construído no final dos anos 20 do século passado e, até 1934, era o mais alto do Brasil, com 102 metros. Ele abrigou a sede da Rádio Nacional, que chegou a ser o principal veículo brasileiro de comunicação e onde foram lançadas as primeiras radionovelas do país. Atualmente, a degradação do prédio, no coração do Porto Maravilha, gera transtornos para seu entorno. Comércio e residências são afetados pelo cenário de abandono.

Em 2018, uma primeira tentativa de leilão não foi concluída. Pendências cartoriais impediram que o processo fosse à frente. Mas, agora, as irregularidades na documentação estão sendo sanadas, segundo informou o Ministério da Economia.

“No que se refere ao processo de alienação para venda, a única pendência cartorial é a transferência da parte pertencente à Empresa Brasil de Comunicação (EBC) – três andares do edifício – para a União. O edital não foi lançado, mas acredita-se que haverá interesse do Setor Privado”, comunicou o Ministério.


LEIA MAIS:

Prosseguem as obras da nova sede da Caixa Econômica, no Porto

Construtoras prometem descontos para imóveis residenciais

Fecomércio RJ: há risco de desemprego para 464 mil pessoas


No dia 18 de maio, está prevista a vistoria para a reversão de guarda, quando a SPU irá observar a situação atual do edifício. Tombado em 2013, o A Noite passou, desde então, também para a tutela do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

O Instituto previa fazer em março uma inspeção no prédio, para verificar suas condições estruturais. Mas a pandemia do novo coronavírus obrigou que o procedimento fosse adiado. “Assim que as atividades presenciais forem retomadas, a vistoria do A Noite será realizada, pois se trata de uma das prioridades deste ano no planejamento de fiscalizações do Iphan no Rio de Janeiro”, informou o Iphan ao DIÁRIO DO PORTO.

Será preciso aguardar as vistorias da SPU e do Iphan para que seja realizada uma nova avaliação patrimonial do imóvel. Em agosto de 2019, o prédio foi avaliado em R$ 90 milhões, bem inferior aos R$ 137 milhões definidos em 2016.