Nova onda de peixes mortos na Ilha do Governador: poluição | Diário do Porto


Sustentabilidade

Nova onda de peixes mortos na Ilha do Governador: poluição

Esgoto sem tratamento, redução da água dos rios por causa das altas temperaturas e pesca ilegal no entorno da Ilha do Governador estão entre as causas

15 de janeiro de 2020

Peixes mortos em praia na Ilha do Governador (reprodução da internet)

Compartilhe essa notícia:


Moradores da Ilha do Governador estão, mais uma vez, chocados com a quantidade de peixes mortos nas areias da Praia de São Bento. Fica perto do Aeroporto Internacional do Galeão. Fotos postadas esta semana mostram uma das faces mais críticas da poluição da Baía de Guanabara. A maior parte dos peixes é da espécie conhecida como “sardinha boca torta”.

O Movimento Baía Viva aponta como possíveis causas a falta de oxigênio em função do esgotos sem tratamento, do lixo e de outros poluentes que a chuva leva para a Baía de Guanabara. São, diariamente, 18 mil litros de esgoto não tratado, sem contar os vazamentos de óleo.


LEIA TAMBÉM:

MPF diz que Cedae polui a Baía de Guanabara

UERJ comemora 70 anos com exposição no Paço Imperial

Docas faz mutirão de faxina no Porto do Rio


O Baía Viva defende que o Programa de Monitoramento Ambiental da baía seja executado pelas universidades públicas e instuições acadêmicas, como a UFRJ, Uerj e Fiocruz. Isso garantiria mais transparência e confiabilidade das informações.

Outro problema é que o calor reduz o volume do volume de água nos rios que deságuam na baía, aumentando a quantidade do sal. A pesca predatória (algumas embarcações de pesca descartam a sardinha boca torta nas águas da baía por esta espécie ter baixo valor econômico) também podem explicar a grande quantidade de peixes mortos.