Nissan faz pesquisa para carro elétrico à base de etanol | Diário do Porto


Inovação

Nissan faz pesquisa para carro elétrico à base de etanol

Motor da Nissan faz 600 km com 30 litros de álcool. Empresa desenvolve tecnologia com o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN)

15 de junho de 2021

Nissan desenvolve motor elétrico à base de etanol, em parceria com o IPEN (foto: Nissan / Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


A Nissan anunciou em sua sede, no Rio de Janeiro, que firmou um acordo com o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), cujo objetivo final é a criação de um carro movido pela eletricidade produzida pelo consumo de etanol.

A Nissan é a primeira empresa a desenvolver e já testar protótipos que são abastecidos com etanol para gerar energia elétrica para carregar uma Célula de Combustível de Óxido Sólido (SOFC). Segundo a empresa, a utilização deste tipo de sistema, combinado com a alta eficiência dos motores elétricos, permite uma autonomia superior a 600 km com somente 30 litros de etanol.

Por contar com uma ampla rede de abastecimento de etanol – e ser um dos principais produtores do mundo –, o Brasil tem sido peça-chave para o desenvolvimento e estudos de viabilidade do projeto.

O primeiro período de testes com o protótipo real do sistema foi realizado no Brasil entre 2016 e 2017. Dois veículos e-NV200 equipados com o sistema SOFC foram testados pela equipe de Pesquisa e Desenvolvimento da Nissan do Brasil e demonstraram que a tecnologia se adapta perfeitamente ao uso cotidiano e ao combustível brasileiro.

O objetivo da parceria entre a Nissan e o IPEN é avaliar e viabilizar diferentes componentes e torná-los adequados para uso em possíveis projetos em escala comercial. Um dos desafios, por exemplo, é estudar a possibilidade de integrar o reformador – uma peça importante do sistema – à própria célula de combustível. Além disso, outros estudos buscam soluções para a redução do tamanho do sistema.

Nissan quer motor zero poluente

As pesquisas e os desenvolvimentos do IPEN na área de novas energias renováveis, lideradas pelo Centro de Células a Combustível e Hidrogênio, diz a Nissan, estão em acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU e com as Ações Mundiais para a redução das emissões de CO2, provenientes da queima de combustíveis fósseis.

A tecnologia de Célula de Combustível de Óxido Sólido da Nissan conta com sistema gerador de potência que se utiliza da reação química do íon oxigênio com diversos combustíveis, incluindo o etanol e o gás natural, que são transformados em hidrogênio na célula, para gerar eletricidade.

O sistema é limpo e funciona 100% com etanol ou água misturada ao etanol. Suas emissões não geram gases poluentes. Além disso, o veículo movido a Célula de Combustível oferece a forte aceleração e a condução silenciosa de um veículo elétrico, com baixos custos de manutenção.

O IPEN é uma autarquia estadual vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) do Governo do Estado de São Paulo, associada à Universidade de São Paulo (USP). É gerida técnica e administrativamente pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).


LEIA TAMBÉM:

Governo e Alerj querem maior fiscalização de petrolíferas

Distrito Empresarial do Porto será constituído no dia 6/7

Fecomércio RJ e Senac RJ atuam para fazer reviver o Centro