Na Alerj, Paes propõe limitar Santos Dumont | Diário do Porto

Política

Na Alerj, Paes propõe limitar Santos Dumont

Na Frente de Defesa do Galeão, criada na Alerj, começam a surgir propostas para evitar que Santos Dumont canibalize o Galeão

7 de outubro de 2021


Galeão tem Frente de Defesa para fortalecer o hub aéreo internacional do Rio (foto: Galeão / Divulgação)


Compartilhe essa notícia:


O prefeito do Rio, Eduardo Paes, propôs que o aeroporto Santos Dumont opere voos de no máximo 500 km de distância, com exceção aos de Brasília. A limitação foi exposta durante a live promovida pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) na qual houve o lançamento da Frende de Defesa do Galeão, criada pelo presidente da Casa, deputado André Ceciliano.

Segundo Paes, essa proposta levaria ao aumento imediato de 30% dos voos no Galeão, fortalecendo a formação de um hub aéreo internacional que beneficiaria toda a economia do Estado do Rio. A apresentação do prefeito contraria o edital de privatização do Santos Dumont defendido pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, que quer atrair compradores para o aeroporto central do Rio aumentando seu número de voos, inclusive com rotas para a América do Sul.

André Ceciliano criticou duramente o edital lançado pelo Ministério e disse que a Frente de Defesa do Galeão, liderada por ele e composta por várias autoridades e empresários, não vai permitir que esse modelo de privatização prevaleça.

“Esse modelo de concessão do Santos Dumont (pretendido por Tarcísio de Freitas) vai quebrar o Galeão e vamos perder o hub internacional do Rio, que é a porta de entrada do Brasil. A gente precisa usar o poder político do Estado. Estão cometendo um crime ao transferir os voos do Galeão para aumentar a outorga no leilão do Santos Dumont. Não dá para viabilizar um aeroporto com uma pista de 1,3 mil metros quando temos pistas de 3,2 mil a 4 mil. Concentrar voos no Santos Dumont é quebrar o Galeão”, afirmou o presidente da Alerj.

Ceciliano apresentou dados que demonstram que o Galeão vem perdendo relevância, principalmente, na crise da pandemia: em 2019, o aeroporto internacional chegou a transportar 21 milhões de passageiros e gerava 21 mil empregos. Hoje, são 10 milhões de pessoas e 7 mil empregos. Ele ressaltou que é imprescindível a união de forças para fortalecer o Aeroporto Internacional do Rio.

Paes, além de defender a limitação do Santos Dumont a voos de 500 km, também sugere vincular uma parcela do valor da outorga da concessão desse aeroporto para investimentos no Rio. A medida beneficiaria, preferencialmente, melhorias no acesso ao Galeão, uma das principais reivindicações para garantir a atratividade dos voos naquele aeroporto. As duas propostas já foram apresentadas pela Prefeitura na consulta pública sobre a concessão aberta, semana passada, pelo Governo Federal.

Alerj cria Frente com entidades empresariais

O deputado federal Hugo Leal disse que, além da forte mobilização na bancada federal na Câmara e no Senado, é necessário que o Governo Estadual informe ao Governo Federal que fará uma revisão nas licenças ambientais operacionais do Santos Dumont e sugere que seja implantada uma limitação no número de assentos oferecidos pelas companhias e do número de pousos e decolagens realizados nesse aeroporto.

O diretor-geral da Alerj, Wagner Victer apoiou a fala do deputado e defendeu ação mais contundente em Brasília. “Não é um modelo liberal de concessão, é uma intervenção pública para prejudicar investimento privado (da empresa RIOgaleão). Querem privilegiar uma nova concessão, em detrimento da existente; é uma agressão ao Rio de Janeiro”, destacou.

O lançamento da Frente teve a participação de dirigentes da Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio), da Associação Comercial do Rio De Janeiro (ACRJ), da Associação de Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Rio Indústria), da Federação das indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), além de deputados estaduais e federais. As entidades pretendem lançar um manifesto para que o Governo Federal modifique o modelo de concessão do Santos Dumont, adequando seu funcionamento ao hub internacional do Galeão.


LEIA TAMBÉM:

Frente de Defesa do Galeão precisa do governador Cláudio Castro

Nissan contrata mais 578 funcionários em Resende

Poço das Antas é destaque do novo Sesc RJ na Estrada