Teatro

Musical sobre Gonzaguinha volta ao João Caetano

Um dos maiores sucessos do teatro em 2018, Gonzaguinha, o eterno aprendiz, fica no Teatro João Caetano até 24 de fevereiro. Emoção garantida

5 de janeiro de 2019
Rogério Silvestre interpreta Gonzaguinha, o eterno aprendiz (Divulgação)

Compartilhe essa notícia em sua rede social:
Rogério Silvestre interpreta Gonzaguinha, o eterno aprendiz
Rogério Silvestre interpreta Gonzaguinha, o eterno aprendiz (Divulgação)

Um dos maiores sucessos do teatro carioca de 2018, assistido por mais de 15 mil pessoas, o musical Gonzaguinha, o eterno aprendiz está de volta ao Teatro João Caetano. A reestreia foi nesta sexta-feira 4 para cumprir temporada às sextas e sábados às 19h e domingo as 18h. O espetáculo mostra a história de um dos maiores compositores e intérpretes brasileiros, que morreu há 27 anos.

O ator Rogério Silvestre dá vida ao personagem central, interpretando um texto poético que passeia por momentos marcantes da vida do cantor e compositor carioca. É o caso da infância no Morro de São Carlos, no Estácio, assim como os primeiros passos na carreira artística, os embates com a ditadura militar e a relação conflituosa com o pai, o rei do Baião, Gonzagão.

O espetáculo é uma versão poética da vida e obra de Gonzaguinha. Conta também com os cantores Bruna Moraes, com interpretação e voz arrebatadoras, e o mineiro Paulo Francisco (Tutuca). Este carrega sua filiação musical não apenas no timbre semelhante ao do homenageado, mas também pelo fato de seu pai, o guitarrista Fredera, e tio, o pianista Wagner Tiso, terem acompanhado Gonzaguinha nos palcos.

Estão no musical também os experientes instrumentistas Rafael Toledo (guitarra, violão e voz), Alcione Ziolkowski (bateria), Omar Fontes (teclados), Buga Júnior (sax, flauta e cavaquinho) e Dudu Dias (baixo). Há participações esporádicas dos cantores Valdeir Valença, Jack Rocha, Ana Martins e Ninah Jô.

 


VEJA TAMBÉM:

Da ditadura ao Carnaval: música de Gonzaguinha será enredo da Império Serrano

Campanha RioAmaLapa inspira-se em NY e Amsterdã

SuperVia convida turistas para visitar quadras de escolas de samba


 

O espetáculo apresenta 16 canções assinadas pelo próprio Gonzaguinha. São elas: Explode coração, Recado, Começaria tudo outra vez, Moleque, Sangrando, O que é o que é?, Ponto de interrogação, Eu apenas queria que você soubesse, Com a perna no mundo, Grito de alerta, De volta ao começo, Palavras, É, Diga lá, coração, Espere por mim, morena e Vamos à luta.

Elas misturam xote, samba, baião e música romântica. São gravações dos maiores nomes da MPB, como Maria Bethânia, Simone, Joanna, Zizi Possi, Raimundo Fagner, Ângela Maria, Cauby Peixoto e o próprio Wagner Tiso. Tiso, inclusive, já participou algumas vezes do espetáculo. No dia da morte da cantora Angela Maria, em 30 de setembro, ele a homenageou, tocando ao teclado a canção Começaria tudo outra vez, gravada por Ângela e seu maior parceiro musical, Cauby Peixoto, em 1991.

O espetáculo apresenta passagens da vida do artista, que iniciou a trajetória na década de 60, em meio aos tropeços da ditadura militar, e seguiu cantando seus amores e anseios pela vida. Os temas que integram o musical também evidenciam como o compositor, numa constante busca, foi um dos poucos a falar com tanto domínio poético e olhar crítico sobre o morro, as questões sociais e o amor, recorrendo sempre a diferentes linguagens e ritmos, como o samba, o bolero e o baião.

Os ingressos continuam no preço da temporada popular: R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia entrada nos casos previstos na Lei Federal). A bilheteria do Teatro funciona de terça a sexta, das 13h às 19h, e sábados, domingos e feriados das 15h às 18h.

Compartilhe essa notícia em sua rede social: