Turismo

10 museus e centros culturais com entrada 0800 no Centro

O DIÁRIO DO PORTO selecionou os endereços culturais mais incríveis do Centro do Rio com entrada gratuita. Confira a lista e se jogue na cultura carioca

22 de novembro de 2018
Sede de seminário internacional sobre museus, o MAR mudou a paisagem da Praça Mauá (Aziz Filho)

Compartilhe essa notícia em sua rede social:
Museu de Arte do Rio
O MAR mudou a paisagem da Praça Mauá (Foto: Aziz Filho)

A Cidade Maravilhosa é repleta de museus e centros culturais na rota das principais exposições do mundo. Mas engana-se quem pensa que é preciso desembolsar muito para conhecê-los. O DIÁRIO DO PORTO fez uma seleção dos 10 museus e espaços culturais mais incríveis do Centro com entrada gratuita. Viva a cultura!

MAR: Museu de Arte do Rio

Fica na Zona Portuária, a alguns metros de distância do Museu do Amanhã. Inaugurado em 2013 no antigo palacete de D. João VI, o museu funciona em duas construções. A primeira abriga as salas de exposições, e a segunda, a Escola do Olhar, que desenvolve programas acadêmicos sobre cultura, educação e arte. Toda terça-feira, de 10h às 17h, a entrada é gratuita para todos. Confira mais aqui.

Museu Histórico Nacional

Museu Histórico Nacional tem mais de 258 mil itens
O Museu Histórico Nacional é o mais importante museu de história do país (Foto: Sylvana Lobo)

O MHN fica no Centro, no complexo arquitetônico da Ponta do Calabouço. Para os amantes de História do Brasil, esse é o passeio perfeito. É um dos principais museus do país, com um acervo de mais de 287 mil itens. Todos os domingos, as exposições fixas são gratuitas. As temporárias podem ter cobrança. Confira mais aqui.

MNBA: Museu Nacional de Belas Artes

O MNBA foi criado durante o governo Vargas, em 1937. Fica na Rio Branco, no Centro, perto do Theatro Municipal. É o museu que possui a maior coleção de arte brasileira do século XIX. Seu acervo é constituído por mais de 70 mil itens representativos de vários períodos da história da arte e da contemporaneidade. A entrada é 0800 todos os domingos. Confira mais aqui.

Centro Cultural Banco do Brasil-RJ

O CCBB é um dos centros culturais mais visitados do Rio e do mundo. Na lista dos 100 museus mais visitados do mundo em 2016 da publicação inglesa The Art Newspaper, o CCBB-RJ ocupa a 26ª colocação, com 2.216.880 visitantes. Sempre traz exposições incríveis – como a de Basquiat, que pode ser vista até janeiro de 2019 –  e fica no Centro, no Corredor Cultural, próximo à Igreja da Candelária. As exposições são gratuitas e temporárias.

Centro Cultural Correios

Centro Cultural Correios é vizinho da Casa França Brasil e do CCBB
O Centro Cultural Correios fica em um prédio histórico no Corredor Cultural (Foto: Reprodução)

O Centro Cultural Correios é menor e menos badalado que o vizinho CCBB. Por isso, nem sempre é lembrado de imediato quando o assunto é exposição. Apesar disso, a programação da casa nunca deixa a desejar. Fica localizado no Centro, no Corredor Cultural, perto também da Casa França-Brasil. O prédio, construído em 1922 para ser uma escola de navegação, é por si só uma atração para quem curte arquitetura. Traz exposições temporárias sempre com entrada franca. O horário de funcionamento é de terça-feira a domingo, das 12h às 19h.

Casa França-Brasil

Também no Corredor Cultural reside a Casa França-Brasil, outro convite a uma viagem ao século passado. Ela está localizada numa edificação histórica com arquitetura magnífica e conservada. Exposições temporárias são a rotina da casa. O prédio, estrutura neoclássica projetada por Grandjean de Montagny, já vale o passeio por si só. Além das exposições temporárias de entrada franca, possui uma Sala de Leitura e um acervo fixo.

LEIA MAIS:

Cais do Valongo será fechado para obras

Siga os artistas no Museu Nacional de Belas Artes

Mais de 175 mil já viram Basquiat no CCBB

Museu do Amanhã

Museu do Amanhã é vizinho do MAR
Museu do Amanhã é a estrela da região portuária do Rio (Foto: reprodução)

A verdade é que o Museu do Amanhã não precisa de apresentação. Estrela da Praça Mauá, é vizinho do MAR e possui exposição fixa e mais acervo, em maior parte digital. Inaugurado em 2015, um dos objetivos da construção do museu foi fortalecer a identidade cultural e internacional carioca. A proposta da instituição é ser um museu de artes e ciências, além de contar com mostras que alertam sobre os perigos das mudanças climáticas, da degradação ambiental e do colapso social. Todas as terças-feiras a entrada é grátis.

Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos (IPN)

Instituto Pretos Novos abriga cemitério de escravos
Interior do Instituto Pretos Novos (Foto: Reprodução)

O local guarda a memória de um passado lamentável: durante os séculos XVIII e XIX, a região abrigava uma imensa vala onde eram jogados os corpos dos africanos escravizados. Em 2005, 9 anos após esse achado arqueológico do Cemitério dos Pretos Novos, o instituto foi criado. Localizado na Gamboa, seu objetivo é resgatar a memória desses povos. A sede do IPN dispõe de uma biblioteca especializada no tema afro-brasileiro e uma galeria de arte contemporânea. Além disso, são oferecidos cursos e oficinas no instituto. A entrada é gratuita e funciona de terça a sexta, das 13h às 19h, e sábados, das 11 às 14h.

Museu do Negro

O Museu do Negro é localizado na Igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos. É um espaço dedicado à representação histórica do negro no Brasil, sua religiosidade e devoções. Misto de museu e de espaço sagrado, é gerido pela irmandade que dá nome à igreja, fundada em 1640 por negros alforriados e escravizados. Em seu acervo, abriga objetos de culto ligados às práticas e devoções dos fieis. O prédio fica a dois minutos de caminhada da estação de metrô da Uruguaiana e tem entrada franca.

Museu Naval

Museu Naval preserva a memória da Marinha brasileira
O Museu Naval tem entrada franca (Foto: Reprodução)

O Museu Naval fica na Praça XV, Centro do Rio. O espaço é usado para a preservação da memória naval brasileira. No acervo, há diversos documentos que relatam a história da Marinha do Brasil, com ênfase na participação brasileira em conflitos. As exposições são fixas e contam com modelos navais, obras de arte, canhões resgatados de navios naufragados, medalhas e documentos históricos. A entrada é franca. O museu funciona de terça a domingo, das 12h às 17h.

Compartilhe essa notícia em sua rede social: