Turismo

Museu online reúne arte estampada nos murais do Porto

Museu de Arte Urbana do Porto (Maup) traz murais de grafite em acervo digital e oferecer cursos gratuitos de guias turísticos a moradores da região

17 de outubro de 2018
Rio de Janeiro - Mural de quase 3 mil metros quadrados na Zona Portuária, do grafiteiro brasileiro Eduardo Kobra, representanta etnias dos cinco continentes (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Compartilhe essa notícia em sua rede social:
Mural de quase 3 mil metros quadrados na Zona Portuária, do grafiteiro brasileiro Eduardo Kobra, representa etnias dos cinco continentes (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Se você adora passear pela Zona Portuária e admirar os murais de grafite, agora vai poder acompanhá-los também por uma plataforma digital. É o que promete o Museu de Arte Urbana do Porto (Maup), que vai oficializar a coleção de obras e reuni-las em um mapa online, a ser lançado nesta quinta-feira (18).

O acervo do Maup será composto por cerca de 50 grafites. Ele incluirá obras de diversos artistas conceituados, como o muralista Eduardo Kobra e o holandês Leon Keer, que deixou sua marca de arte anamórfica no Boulevard na semana passada. Os paulistanos Erica Mizú e Apolo Torres, que realizaram do17is murais gigantes no início do ano, também estarão na composição.

Leon keer 3
Fachada de prédio abandonado na região do Porto ganhou obra de Leon keer (Foto: Divulgação)

As obras serão identificadas e mapeadas com o geolocalizador do Google Maps. A plataforma apresentará também um perfil dos artistas, a data, técnicas utilizadas e outras características da arte. O mapa será atualizado conforme novas obras forem produzidas na região.

Moradores da região vão virar guias

Além disso, o Maup oferecerá cursos gratuitos para jovens realizarem a atividade de guia turístico. A ideia, segundo Andre Bretas, idealizador do museu, é iniciar o projeto ainda este ano.

“Já temos um curso, desde 2010, de capacitação de moradores da região para trabalhar com plataformas, técnicas em grande escala que podem ser utilizadas para grafites ou reformas”, explica o empresário. “A ideia, agora, é expandir para a capacitação de jovens para a área turística da região”.

Reportagem da estagiária Isabella Ferri, sob supervisão da editora Rosayne Macedo

Compartilhe essa notícia em sua rede social: