Metro quadrado do Leblon chega a R$ 22 mil, diz Imovelweb | Diário do Porto

Imóveis

Metro quadrado do Leblon chega a R$ 22 mil, diz Imovelweb

Pesquisa da Imovelweb mostra que m2 no Leblon custa três vezes o preço médio no Rio. Valor de venda sobe até 16% e de aluguel, até 19%, de acordo com bairro

2 de maio de 2021


Pesquisa da Imovelweb mostra que Leblon tem o metro quadrado mais caro do Rio: até R$ 22 mil (Foto: Reprodução de Internet)


Compartilhe essa notícia:


O primeiro ano de pandemia impactou o setor imobiliário do Rio de Janeiro, como mostra o relatório do portal Imovelweb. De março de 2020 a março de 2021, a valorização dos imóveis para venda chegou a 16% e, para aluguel, a 19%. Mas os números também ressaltam as distâncias da cidade partida.

No Leblon (Zona Sul), bairro mais caro da cidade, o metro quadrado custa quase R$ 22 mil, três vezes o preço médio de um imóvel na cidade, que é de R$ 7.766 / m2, um aumento de 0,2% de fevereiro para março.

Em março, o valor médio de um apartamento de 65 metros quadrados com dois quartos e garagem ficou em R$ 505 mil, e o preço de um apartamento com três dormitórios e 95 m2, em R$ 738 mil. Depois do Leblon, os bairros mais caros da cidade são Ipanema (R$ 19.198/ m2) e Lagoa (R$ 16.207/m2). Apesar disso, a variação de preços nesses bairros foi até cinco vezes menor do que em outros bairros mais baratos.

 

Mais caros (R$/m²)ValorVariação mensalVariação anual
Lagoa (Zona Sul)16.2070,1%3,4%
Ipanema (Zona Sul)19.198-0,2%1,5%
Leblon (Zona Sul)21.9250,4%2,0%

Costa Barros tem os imóveis mais baratos

Costa Barros segue como o bairro de imóveis mais baratos, com valor sete vezes menor do que a média do Rio. O bairro fica na Zona Norte. Mas a Zona Oeste é que tem o menor preço médio. Os bairros com o maior aumento anual (16%) foram Água Santa (R$ 4.635/m²) e Senador Vasconcelos (R$ 2.619/m²), seguidos da Cacuia, que ficou em R$ 5.213/m² – aumento de 15%.

Já os bairros onde o valor dos imóveis mais desvalorizou foram Cidade Nova (R$ 7.345/m², -14%), Catumbi (R$ 3.932/m², -13%) e Honório Gurgel (2.781/m², -10%). Em 2020, os preços acumularam alta de 0,7%, abaixo da inflação.

Mais baratos (R$/m²)ValorVariação mensalVariação anual
Costa Barros (Zona Norte)1.050EstabilidadeS/D
Pavuna (Zona Norte)2.117-0,7%2,9%
Turiaçu (Zona Norte)2.3620,2%-5,9%

Aluguel tem queda de até 19% no ano

Os dados do Imovelweb também mostram os bairros que mais registraram queda no valor de locação dos imóveis: Campinho (R$ 1.113/mês, -19%), Praça da Bandeira (R$ 1.570/mês, -18%) e Urca (R$ 2.637/mês, -18%). Já as maiores altas ocorreram em Humaitá (R$ 2.545/mês, +13%), Penha Circular (R$ 1.170/mês, +13%) e Cascadura (R$ 1.135/mês, +14%).

De acordo com o Imovelweb, o preço médio do aluguel de um apartamento padrão (65 metros quadrados, dois quartos e vaga na garagem) no Rio de Janeiro é R$ 1.810/mês, 0,5% a mais do que o registrado no mês de fevereiro. O preço de locação acumula alta de 1,7% em 2021 e de 2,4% em 12 meses.

Os valores mais baixos de aluguel da capital fluminense se encontram na Zona Oeste, enquanto os mais altos estão na Zona Sul. O aluguel médio de apartamento de dois quartos ficou R$ 1.810, ou R$ 28 para m2/mês. Já um apartamento de três quartos tem aluguel em média de R$ 2.514, ou R$ 26 para m2 / mês. O preço médio a partir de aluguel na Zona Oeste ficou em R$ 1.810/mês, subindo 0,5% no mês. Os preços subiram 1,7% em 2021, abaixo da inflação e do reajuste do IGP-M.

As tabelas mostram os bairros onde o valor de locação é mais alto e mais baixo no Rio de Janeiro:

Mais baratos (R$/m²)ValorVariação mensalVariação anual
Senador Vasconcelos (Zona Oeste)831-0,4%-7,7%
Bangu (Grande Bangu)9620,0%-3,7%
Guaratiba (Zona Oeste)9650,3%-5,7%
Mais caros (R$/m²)ValorVariação mensalVariação anual
Glória (Zona Sul)2.6623,6%8,0%
Ipanema (Zona Sul)3.7290,1%3,3%
Leblon (Zona Sul)3.752-1,0%-3,2%

Tempo para recuperar valor de imóvel é 30% menor

O índice de rentabilidade imobiliária do Imovelweb relaciona o preço de venda e valor de locação do imóvel para verificar o tempo necessário para recuperar o dinheiro utilizado na aquisição do imóvel.

No relatório de março, o índice subiu para 4,6% bruto anual, o que significa que são necessários 21,9 anos para receber, em aluguéis, o valor investido na compra de um imóvel, tempo 30,2% menor que há um ano.

São Francisco Xavier (Grande Méier) e Ramos (Ilha do Governador) são os principais bairros para investidores que procuram por renda. Já três dos mais caros da cidade (Leblon, Gávea e Lagoa), na Zona Sul, são os menos rentáveis.

 

Os bairros mais e menos rentáveis para se investir no Rio

Mais rentáveis
São Francisco Xavier6,7%
Ramos6,6%
Cosmos6,5%
Menos rentáveis
Leblon3,2%
Gávea3,1%
Lagoa2,9%

LEIA TAMBÉM

Investimentos no Rio podem chegar a R$ 150 bi, diz Governo

Imóveis comerciais do Centro poderão virar residências

Avenida Portuária promete reduzir engarrafamentos no Rio