Metrô agora liberado para as bicicletas dobráveis


Geral

Metrô agora liberado para as bicicletas dobráveis

No dia da abertura da Velo-City Rio 2018, o metrô anunciou que permitirá a entrada de bicicletas dobráveis nos últimos carros de todas composições das linhas 1, 2 e 4. Maior conferência sobre bikes no mundo vai até sexta-feira no Armazém 3 do Pier Mauá

12 de junho de 2018

Velo-City movimenta o Pier Mauá até sexta-feira (Foto Alexandre Macieira, Riotur)

Compartilhe essa notícia:


 

Bicicletas dobráveis na Velo City Rio 2018
Metrô passa a destinar o último vagão para as bicicletas dobráveis (Alexandre Macieira/Riotur)

A partir de agora, está liberado o embarque de passageiros com bicicletas dobráveis em todas as estações das linhas 1, 2 e 4 do metrô, no último carro do trem, durante o horário de funcionamento, em todos os dias da semana. A iniciativa, anunciada nesta terça-feira (12) pelo MetrôRio, coincide com a Velo-city 2018, maior conferência mundial sobre bicicleta, que o Rio de Janeiro recebe até sexta (15). Na abertura oficial do evento, no Armazém 3 do Pier Mauá, na região portuária, o prefeito Marcelo Crivella destacou a importância de se debater o transporte por bicicleta como forma de evolução da cidade.

“É a maneira mais barata de preservar o meio ambiente e a saúde. E de aumentar a qualidade de vida, com menos trânsito e menos poluição”, ressaltou. Ele também disse que a bicicleta é um meio de inclusão social. “É a maneira em que o rico e o pobre se deslocam na mesma velocidade, e com grandes benefícios para nós. Nosso trânsito está cada dia mais confuso, e nós temos também muita poluição”, acrescentou, reafirmando o interesse de aumentar o número de ciclovias na cidade, acompanhando esse “movimento de sustentabilidade” global.

Parceira da prefeitura no evento, a ECF (Federação Europeia de Ciclistas, na sigla em inglês) foi representada por Christophe Najdovski, que é também vice-prefeito de Paris para assuntos relacionados à mobilidade. “A maioria das cidades no mundo enfrenta os mesmos desafios: ser sustentável e reduzir a emissão de gases poluentes, e a bicicleta é a resposta para essas questões. Existe grande potencial para desenvolver o ciclismo em nossas cidades. Temos que compartilhar essa convicção a todos os cidadãos e espalhar decisões de governo nesse sentido”, afirmou.

Velo-city movimenta o Armazém 3 do Pier Mauá
Velo-city reúne mais de mil pessoas no Armazém 3 do Pier Mauá (Alexandre Macieira/Riotur)

Evento reúne cerca de 1 mil inscritos

A Velo-City foi criada em 1980, na cidade alemã de Bremen, e pela primeira vez  ocorre na América Latina. O fórum já visitou a América do Norte e a Ásia, além da Europa. No ano passado, foi em Arnhem e Nijmegen, na Holanda. Em 2019 será em Dublin, na Irlanda. Durante quatro dias, serão debatidos temas relacionados à sustentabilidade e à inclusão, com foco na bicicleta como transporte e no seu papel de promoção da saúde, da preservação do meio-ambiente e do bem-estar.

Velo-City 2018: Rio capital mundial da bike

O DIÁRIO DO PORTO participa das atividades com uma ampla cobertura pelo Instagram (@diariodoporto). No Rio de Janeiro, são cerca de 1 mil inscritos, com 70% de sul-americanos, 20% de europeus e 10% de americanos. Na Velo-City, a bicicleta é apresentada em suas conexões com educação, transporte, turismo, lazer, cultura, inovação, sustentabilidade e políticas públicas. São debates, plenárias e palestras que reúnem alguns dos mais importantes ativistas da mobilidade por bicicleta no mundo. Mais sobre a programação aqui.

Itaú leva laranjinhas para o Velo-City 2018
Itaú leva laranjinhas para o Velo-City 2018 (Alexandre Macieira: Riotur)

Debates sobre políticas públicas e financiamento

Além do apoio ao evento, o Itaú promove três paineis de debate ao longo dos quatro dias de conferência. Entre os temas que serão abordados estão políticas públicas para mobilidade nas cidades; a importância do advocacy na cultura da bicicleta; as transformações nas cidades por meio da bicicleta e financiamento para o ciclismo. Na sexta-feira serão apresentadas as pesquisas financiadas pelo Itaú sobre ‘impacto do uso da bicicleta no município de São Paulo’ e da ‘Economia da Bicicleta no Brasil’.

Ainda durante o evento, as bicicletas do Bike Itaú conhecidas como ‘laranjinhas’, estarão à disposição dos participantes da Velo-city. O estande da marca simula um cenário animado em led do Rio de Janeiro no qual o ciclista poderá sentir o vento da “viagem” enquanto pedala. Ao final da atividade, o participante recebe um ‘gif’ da sua pedalada por WhatsApp, SMS ou e-mail e um brinde: o Bike Itaú Free Card. Este cartão poderá ser usado para retirar uma das laranjinhas do Bike Rio pelo período da conferência.

Regras para levar a bicicleta no metrô

O Metrô Rio advertiu que as bicicletas dobráveis deverão estar acomodadas em capa própria para transporte. Não será permitido o transporte de bicicletas pelas escadas rolantes, tapetes rolantes, plataformas inclinadas e verticais e elevadores, assim como montar sobre a bicicleta nas dependências do metrô ou mesmo no interior dos trens.

Os clientes com bicicletas devem respeitar o limite da faixa amarela, observando que a roda da bicicleta deve ficar antes da faixa. Além disso, não será permitido deitar a bicicleta no chão da composição ou prendê-la no balaústre. Bicicletas motorizadas, mesmo que dobráveis, não são permitidas.

Segundo o Metrô Rio, a liberação do transporte de bicicleta dobrável em todos os horários pretende estimular o transporte sustentável. O acesso aos clientes com bicicletas comuns já é permitido aos sábados, domingos e feriados durante toda a operação, e também nos dias úteis após as 21h, no último carro de cada composição.

O MetrôRio, como transporte de massa, é um pilar da mobilidade no Rio de Janeiro.  Além de reafirmar nossa vocação, as iniciativas de apoio ao uso da bicicleta são mais uma contribuição da nossa empresa para proporcionar comodidade, bem-estar e inclusão, tanto para seus habitantes quanto para os visitantes, colaborando, assim, para a construção de uma cidade mais sustentável”, diz Guilherme Ramalho, presidente do MetrôRio.

Bicicletários oferecem 243 vagas

A Concessionária disponibiliza 14 bicicletários gratuitos, totalizando 243 vagas nas estações General Osório, Siqueira Campos, Cantagalo, Catete, Glória, Estácio, São Francisco Xavier, Uruguai, Triagem, Inhaúma, Vicente de Carvalho, Irajá, Colégio e Pavuna.

Localizados na parte interna das estações (após as catracas), os bicicletários são utilizados apenas por usuários que vão embarcar no metrô, o que dá mais segurança a quem utiliza o serviço. Além disso, cada proprietário fica responsável pelo seu cadeado. A taxa de ocupação dos bicicletários é de 81% na Linha 2 e de 37% na Linha 1.

No último fim de semana, aproximadamente 700 clientes transportaram bicicletas no sistema. Os passageiros também contam com 25 estações do Bike Rio no entorno das estações.

Da Redação, com Assessorias


/