MAR e Pinacoteca vão compartilhar exposições entre Rio e SP | Diário do Porto


Exposição

MAR e Pinacoteca vão compartilhar exposições entre Rio e SP

A parceria entre MAR e a Pinacoteca começa com a exposição Yorùbáiano, de Ayrson Heráclito, que será inaugurada no próximo sábado no museu paulistano

1 de abril de 2022

A arte de Ayrson Heráclito inaugura a parceria entre MAR e a Pinacoteca (divulgação/MAR)

Compartilhe essa notícia:


O Museu de Arte do Rio e a Pinacoteca de São Paulo assinam amanhã, em São Paulo, um termo de parceria entre as duas instituições para  compartilhar programações expositivas, atividades educativas e culturais em projetos de cooperação futuros. A iniciativa neste ano começa com a itinerância das exposições “Yorubaìano, de com obras do artista baiano Ayrson Heráclito, concebida pelo MAR, e “Enciclopédia Negra”, da Pina.

Yorùbáiano será inaugurado no sábado e reúne 63 obras, com instalações, fotografias, vídeos, performances e registros, abordando as feridas deixadas pela escravidão e a história colonial. A mostra vai ocupar o quarto andar do edifício da Pinacoteca Estação e tem curadoria de Amanda Bonan, Ana Maria Maia e Marcelo Campos. A abertura será às 11h e o público poderá assistir à performance “Segredos Internos” (1994-2010). A entrada será gratuita.

“A parceria do Museu de Arte do Rio com a Pinacoteca de São Paulo é um marco importantíssimo na relação e no desenvolvimento de exposições que conquistam cada vez mais audiência e que por terem perspectivas universais são representativas tanto da realidade do Rio quanto de São Paulo. São mostras que debatem temas que remetem ao processo histórico brasileiro e que têm efeito no Rio e em todo o país. A iniciativa engrandece o trabalho do MAR e é uma oportunidade ímpar para a Pinacoteca De São Paulo, que levará ao público paulista uma curadoria bastante rigorosa, eclética e com muita profundidade. E ao mesmo tempo, o MAR poderá beber dessa fonte que é a Pinacoteca, como um local proativo, cuidadoso e com muita capacidade criativa”, ressalta Raphael Callou, diretor da Organização dos Estados Ibero Americanos (OEI), instituição gestora do MAR.

A arte Ayron Heráclito inaugura parceria com Pinacoteca

Ayrson Heráclito (Macaúbas, Bahia, 1968) é professor universitário, historiador da arte, curador e ogã de Candomblé de matriz Jejê-Mahi. Sua trajetória artística inicia-se nos anos 1980 na Bahia O artista se consolida, em seus cerca de 35 anos de trajetória, como um dos mais significativos nomes no Brasil a construir uma obra dedicada a elaborar ritos de cura, negociando outras relações com um passado nefasto, constantemente sacudido e ritualisticamente eliminado em banhos de ervas (“ìwá orí”) com águas frescas (“omi odò tó ń sàn”) ou no alimento oferecido às cabeças (“borí”), para que se mantenha o equilíbrio do corpo e do espírito.

Na seleção de obras, o artista baiano articula culturas diversas, abarcando os mitos yorubanos ou nagôs e jejes, a um amálgama cultural único de saberes ancestrais, ensinamentos, lendas, ritos e visões de mundo distintos que fazem parte das matrizes religiosas e culturais do candomblé.

Na mostra o público pode conhecer as lendas, “ìtàns” e “orikis”, narrativas tradicionais que seguem presentes nas ruas, procissões, romances e enredos de escolas de samba brasileiras, tomando contato com um mundo onde a natureza dos seres e dos bichos se complementa.


LEIA TAMBÉM:

Os navios de geração impactarão ou não o Estado do Rio?

Guerra acelera busca por energias poluentes, diz Margulis

Alerj cria novo Parque Estadual em São Gonçalo


/