Mais uma do Vidal: o Pequeno Museu Carioca | Diário do Porto


Museus

Mais uma do Vidal: o Pequeno Museu Carioca

Com inauguração prevista para o feriado do Dia das Crianças, Pequeno Museu Carioca celebra a carioquice e ancestralidade da Região Portuária (*)

26 de setembro de 2021

Raphael Vidal, Ronaldo Oliveira e Ierê Ferreira (esq à dir): o trio à frente do novo Pequeno Museu Carioca (DIÁRIO DO PORTO)

Compartilhe essa notícia:


Chico Silva

O Brasil está em crise. A pandemia dizimou corpos, negócios e empregos. Nesse cenário, o que um dono de bar comum costuma fazer? Segura a onda ou, como se diz no futebol quando um time quer garantir o resultado, fecha a casinha. Mas Raphael Vidal, definitivamente, não é um dono de bar comum. O proprietário das movimentadas Casa Porto e Bafo da Prainha, botecos que reinventaram o Largo São Francisco da Prainha, segue na contramão e vai abrir mais uma “casinha”.  No feriado de 12 de Outubro, Dia das Crianças, entrará em cena o Pequeno Museu Carioca.

Vidal recebeu a missão de criar Pequeno Museu num Jogo de Ifá (DIÁRIO DO PORTO)

Como o nome sugere, o espaço será um pequeno templo dedicado à carioquice, esse estado de espírito que contagia cada beco, viela, ladeira, escadaria e rua da ex-capital do Império e da República. Celebrará também ancestralidade preta da Pequena África, como a Região Portuária é conhecida por ter se tornado o maior porto de escravos do mundo no século XIX. E foi em um Jogo de Ifá, herança direta da africanidade, que Vidal recebeu a missão de botar o Pequeno Museu Carioca em pé. “Não queria simplesmente abrir mais um bar. Aí, num Jogo de Ifá, meu babalaô vira e fala que para me estabelecer nesse local eu teria que celebrar e reverenciar a história e tradição da região. Assim nasceu a ideia do Pequeno Museu Carioca” diz Vidal.

Tia Lúcia será tema da primeira exposição

Fiel ao lema “a união faz a força”, Vidal convocou dois velhos parceiros para auxiliá-lo na jornada. O fotógrafo Ierê Ferreira, retratista de personalidades pretas da cultura carioca, entre elas gigantes como Zé Keti e dona Ivone Lara, será o curador do espaço. “O Vidal queria que o Pequeno Museu tivesse uma relação direta com os costumes e fragmentos da carioquice. Assim tive a ideia de homenagear uma personagem que simboliza e representa tudo isso, a Tia Lúcia. Ela será o tema da nossa primeira exposição”, conta

O fotógrafo Ierê Ferreira será o curaddor do novo espaço (DIÁRIO DO PORTO)

Tia Lúcia era uma baiana brincante que fez do Morro do Pinto sua morada e razão de vida. Contagiava a todos, especialmente as crianças, com sua alegria e dança. A mostra, com várias fotografias e objetos pessoais dela, estreia na data de inauguração do Pequeno Museu Carioca, 12 de Outubro, e irá até o final de novembro. No Dia Nacional do Samba, Dois de dezembro, o homenageado será o sambista, compositor, roteirista, jornalista e radialista, Rubem Confete. Aos 84 anos e ainda na ativa, apresenta o quadro o “Boteco do Confete no programa “Armazém Cultural” da Rádio MEC, o griô, como é conhecido, é considerado um dos grandes patrimônios e guardiões da história do samba.

Tia Lúcia será tema da primeira exposição (foto/Ierê Ferreira)

O 3 em 1 do Pequeno Museu

Outra atração do Pequeno Museu será o sebo “Miudinho Meu Bem”, que será tocado pelo livreiro e administrador Ronaldo Souza Dias de Oliveira. Ele e Vidal se conhecem desde os tempos do FUBA, Foliões Unidos do Bloco Alheio, grupo de amigos que se reunia para brincar carnaval em vários blocos do Rio. Além de livros, o “Miudinho Meu Bem” conta também com um grande acervo de discos de vinil. Mas engana-se quem pensa que a única função de Ronaldo será cuidar da “lojinha”.  “Eu achava que ia ter só um espaço para vender minhas coisas. Mas logo o Vidal me fez administrador do bar e presidente do Museu”, diz.

Como se trata de empreendimento com a assinatura de Raphael Vidal, o Pequeno Museu Carioca terá um bar. Além de cerveja gelada, o botequim museológico servirá petiscos, como bolinho de bacalhau e outros clássicos da miúda gastronomia carioca.

 

Ronaldo Oliveira é dono do sebo, presidente do Museu e administrador do bar (DIÁRIO DO PORTO)

(*)ALERTA DE CONTEÚDO ALTERADO:  Na versão original desta reportagem, publicada no início da tarde de domingo, informamos que o Pequeno Museu Carioca seria inaugurado hoje, segunda-feira, Dia de Cosme e Damião. Mas  o próprio Raphael Vidal, idealizador do espaço, entrou em contato com a reportagem do DIÁRIO DO PORTO para informar que um imprevisto ocorrido no final da tarde de ontem adiou a inauguração para o próximo 12 de outubro, feriado do Dia das Crianças. 


LEIA TAMBÉM:

Conheça Eduardo e Monica, as novas lontras do BioParque

Latam vai retomar voos do Galeão para Santiago

Garis produzem adubo no Parque Darke de Mattos


/