Turismo

Maioria dos hotéis do Rio não tem previsão para reabrir

Hotéis do Rio sofrem com a falta de hóspedes desde o início do isolamento social. Setor calcula que prejuízos já passaram dos R$ 720 milhões

1 de julho de 2020
Entre os hotéis do Rio, o Copacabana Palace é um dos poucos com data para reabertura (foto: Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


As incertezas quanto ao fim do período de isolamento social estão afetando o planejamento do setor hoteleiro da cidade. Segundo a ABIH (Associação Brasileira da Indústrias de Hotéis), 63,93% dos hotéis do Rio não têm data para retomar suas atividades.

Embora não tenham sido obrigados a paralisar seus trabalhos, os hotéis do Rio foram forçados a fechar por falta de público. Para isso contribuíram o cancelamento de eventos, as restrições aos voos e às viagens por ônibus, e a proibição de acesso aos pontos turísticos da cidade, principalmente às praias, como medidas para evitar a propagação do novo coronavírus.

Segundo Alfredo Lopes, presidente do Hotéis Rio (Sindicato dos Meios de Hospedagem do Município do Rio de Janeiro), a taxa de ocupação dos estabelecimentos que continuaram abertos chegou a ficar em 5%. Nos anos anteriores, mesmo na baixa estação, essa taxa nunca desceu dos 30%.

90 hotéis do Rio estão fechados

Desde a segunda quinzena do último mês de março, quando começou o período de quarentena, cerca de 90 hotéis paralisaram totalmente suas atividades. O prejuízo calculado já passa dos R$ 720 milhões.

Nesse cenário de incertezas, 14,75% dos hotéis fechados pretendem retomar as atividades ainda neste mês, 1,64%, em agosto, e 3,28%, em setembro.


LEIA MAIS:

Bonde de Santa Teresa volta a funcionar com novas regras

Transporte clandestino cresce na pandemia e traz riscos a passageiros

Mondial de la Bière será em novembro no Píer Mauá


Para recuperar a confiança do público, o setor hoteleiro, junto com a Secretaria de Turismo e a Vigilância Sanitária, vão adotar um selo de qualidade e excelência para identificar os hotéis que seguem as boas práticas no combate à Covid-19.

Selo atesta higienização dos hotéis do Rio

O selo atesta que o estabelecimento cumpre regras de higienização em todas as suas áreas, principalmente nos quartos dos hóspedes, único local em que será servido o café da manhã.  O álcool em gel deve estar acessível em todos os ambientes do estabelecimento e os restaurantes só servirão hóspedes com reservas antecipadas, de forma a evitar aglomerações.

O Copacabana Palace, o hotel mais tradicional da cidade, prevê sua reabertura para 20 de agosto. Em 97 anos de atividade, o estabelecimento nunca havia fechado totalmente suas dependências. Desde abril, apenas  duas pessoas moram no nobre endereço, a diretora do estabelecimento e o cantor Jorge Ben Jor, que reside ali há 2 anos.