Loft: comprador de imóvel quer segurança e mobilidade | Diário do Porto

Imóveis

Loft: comprador de imóvel quer segurança e mobilidade

Segurança, mobilidade e vizinhança tranquila são fatores mais buscados. Através de recursos digitais, os futuros compradores recriam a visitação do imóvel à distância

29 de dezembro de 2020
Pesquisa ouviu 200 pessoas que querem comprar imóvel ou compraram nos últimos 6 meses (Foto: Freepikl)

Compartilhe essa notícia:


Uma pesquisa feita no Rio de Janeiro pela startup Loft — que facilita compra, troca, financiamento e venda de imóveis — apontou como fatores mais buscados na hora de adquirir um imóvel a vizinhança tranquila, a segurança e boas opções de mobilidade, além da fuga do aluguel. O levantamento foi feito com 200 pessoas que pretendem comprar apartamentos ou compraram nos últimos seis meses.

Em agosto, o Diário do Porto mostrou que, apesar da pandemia, o mercado de imóveis residenciais do Rio apresentava sinais de recuperação com o melhor índice de compra dos últimos 4 anos. O chamado “novo normal”  trouxe um novo perfil de compradores, interessados em áreas funcionais para home-office e varanda.

Além de buscar um espaço mais adequado às suas necessidades, as pessoas entrevistadas pela Loft buscam praticidade e segurança no processo de compra e venda para evitar surpresas.  Em termos de estrutura, prédios com portaria 24h e conveniências como vaga de garagem, proximidade de comércio e trabalho.

A maioria das vendas imobiliárias hoje é realizada com apoio da internet, com pouca interação presencial, por conta da pandemia. Os compradores conhecem o imóvel por meio de um tour virtual, fotos, e também por chamadas em vídeo com os corretores.

“Nosso intuito é trazer mais transparência para nossos clientes, em um momento tão complexo e crucial de suas vidas, e muitas vezes isso falta no mercado imobiliário. Tanto é que, em média, apenas 7% dos compradores partem para a compra de um imóvel sem dúvidas”, explica Carol Baracat, diretora de Marketing da Loft.

Diferentes perfis de compradores

O levantamento separou os compradores em dois perfis, os de primeira viagem, que representam 71% dos entrevistados, e os experientes, 29%. Os primeiros querem realizar o sonho da compra do imóvel (41%), buscam bairros tranquilos (35%) e querem ter tudo por perto para otimizar seu tempo de deslocamento (34%).  Seus motivos são sair do aluguel (29%), sair da casa dos pais (14%) e morar com o companheiro (11%).  O processo de compra dura, em média, oito meses, já que esses consumidores são mais indecisos.

Já os experientes estão em busca de mobilidade (39%) e priorizam suas escolhas com base na família (36%).  Entre os  motivos para buscar um novo imóvel estão a mudança de região da cidade (14%), casamento (12%) e um apartamento maior (11%). Neste caso, o processo de compra dura em torno de 6 meses, em média, já que esses consumidores estão mais convictos a respeito do que querem.


LEIA TAMBÉM

Firjan: venda da Cedae despoluirá a Baía de Guanabara

Imóveis têm aumento de 8,4% nas vendas no país

Fecomércio RJ diz que turista nacional é prioridade