Livro mostra 'Mulheres que orgulham o Rio' | Diário do Porto


Literatura

Livro mostra ‘Mulheres que orgulham o Rio’

Trabalho da deputada Adriana Balthazar e da jornalista Elizabeth Camarão reuniu em livro belas histórias de “Mulheres que orgulham o Rio”

3 de maio de 2022

A deputada Adriana Balthazar, coautora do livro: "autoestima do Rio" (Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Dar protagonismo a mulheres que desafiaram as dificuldades impostas pela pandemia e mudaram a realidade de centenas de pessoas. Esse é o mote do livro Mulheres Que Orgulham o Rio, que resgata a rotina de dor e resiliência de 17 empreendedoras sociais que atuam em diversas regiões do Estado.

Idealizado pela deputada estadual Adriana Balthazar (Novo) em parceria com a jornalista Elizabeth Camarão, o livro traz o relato corajoso de mulheres que se reinventaram durante o confinamento para ajudar os mais necessitados.

Mulheres que orgulham o Rio
Capa do livro “Mulheres que orgulham o Rio”

 

“Na maioria das vezes, embora façam a diferença na vida de centenas de moradores de diversas comunidades, essas mulheres trabalham no anonimato. A ideia desse livro foi dar voz a elas e mostrar que é possível fazer muito com tão pouco, basta coragem e vontade de ajudar”, diz a deputada e autora.

Além disso, segundo Adriana Balthazar, a obra é uma contribuição para elevar a autoestima do Estado do Rio de Janeiro, “que tem um povo criativo e batalhador”. Antes de assumir o mandato, Adriana acompanhou de perto a rotina dessas mulheres como empresária e mobilizadora política.

Do racismo à luta

Entre os relatos, o livro traz a história de Paula Tanga. Vítima de racismo, ela transformou a dor em luta e criou a ONG Afrotribo, com sede em São Gonçalo, que oferece reforço escolar, aulas de dança, línguas, leitura, música e grafite para empoderar crianças e jovens de comunidades do município e arredores.

A ONG sobrevive basicamente de doações e da ajuda de mães parceiras. Escritora, Paula participou com oito salas de leitura infantil na última Bienal do Livro e criou o Prêmio Ubuntu de Cultura Negra.

 


LEIA TAMBÉM:

No MAR, Enciclopédia Negra dá rosto a negros invisíveis
Mais uma anta nasce em reserva natural do Rio
CPI dos Trens fica ‘estarrecida’ com desleixo da Supervia

 

São também contadas as histórias da médica Rosa Celia Pimentel Barbosa, fundadora do Pró Criança Cardíaca; da idealizadora do Projeto Favela Art, no Complexo do Alemão, Mariluce Mariá; e da mangueirense Célia Regina Domingues, criadora de projetos sociais na comunidade.

Participam ainda Paula de Almeida Dias, Mariana Albuquerque, Miriam Ferreira Gomes, Anna Mostowik Saraiva, Rafaela Fernandes de Oliveira, Maria Teresa Stengel, Érica Paes, Natácia Teixeira Dias, Regina Righi, Érica Portilho, Thaís Ferreira, Rita Duarte, Ana Cristina Mattos e Denise Frossard.