Livro de Sérgio Magalhães propõe "Reinvenção da Cidade" | Diário do Porto


Urbanismo

Livro de Sérgio Magalhães propõe “Reinvenção da Cidade”

Gigante do urbanismo brasileiro, realizador do Favela-Bairro, Sérgio Magalhães cobra protagonismo dos centros urbanos no livro “Reinvenção da Cidade”

18 de março de 2022

O urbanista Sérgio Magalhães lança mais uma obra, "Reinvenção da Cidade"

Compartilhe essa notícia:


Toda cidade precisa de uma ação coletiva para ser reinventada e adequada às exigências do século XXI, especialmente em um mundo pós-pandemia. Esta é a defesa de um gigante do urbanismo carioca, o arqutiteto Sérgio Magalhães, em seu mais recente livro, Reinvenção da Cidade – Interação, Equidade, Planeta.

A obra discute desafios dos espaços urbanos brasileiros na busca de cidades menos predatórias e desiguais. Mais democráticas, inclusivas e sustentáveis. Lançamento nesta sexta-feira, 18 de março, às 19h na Livraria da Travessa do Shopping Leblon.

O Rio de Janeiro que Magalhães analisa no livro é uma metrópole icônica, que concentra atributos, contrastes, carências e potencialidades formadoras da identidade nacional. O autor expõe sua visão sobre as consequências sociais, políticas e econômicas do pouco cuidado com as cidades. E defende que as cidades tenham mais protagonismo como ferramenta de desenvolvimento do país, superando o debate puramente econômico.

Reinvenção da Cidade - Sérgio Magalhães

Sérgio Magalhães presidiu o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), entre 2012 e 2017, e o 27o Congresso Mundial de Arquitetos (UIA2021RIO). Foi secretário Municipal de Habitação do Rio de Janeiro (1993-2000), quando geriu o Favela-Bairro, em 155 favelas cariocas. Premiadíssimo, é também professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, a FAU, da UFRJ.

“Por muito tempo, temos abandonado as nossas cidades, mas precisamos reconhecer que elas são o lugar da educação, da saúde, do trabalho, do conhecimento, da inovação, e que nelas vivem 85% dos brasileiros”, convida o autor. A obra se baseia em três conceitos estruturadores de uma cidade no século 21: interação, equidade e  sustentabilidade.

 


LEIA TAMBÉM:

Mercado Imobiliário do Rio registra leve reação em 2021

Arrematado pelo Estado, Estaleiro Caneco será complexo pesqueiro

Morro da Providência beneficiado por programa da ONU


O primeiro, a interação, é no sentido de valorização das trocas sociais, de compreensão da diversidade e da antissegregação. O segundo, a equidade, se dá por meio da universalização dos serviços públicos com qualidade e do atendimento a todos os estratos sociais. Já o terceiro diz respeito ao planeta, no que concerne à relação indissociável entre a vida humana, a natureza e as condições climáticas.

“A palavra “reinvenção” é claramente forte, mas poderá ser apropriada como sinal mobilizador para uma mudança indispensável. Precisamos olhar para o nosso ambiente de vida, as potencialidades das cidades e o tema urbano como pauta política urgente”, destaca Sérgio.

O Rio é a grande protagonista do livro porque, para o autor, evoca o que há de mais desafiador e inspirador para uma completa reinvenção, referência para o Brasil. Ele ressalta graves erros urbanísticos, como o abandono e a redução do papel do Centro histórico e a ocupação de áreas cada vez mais afastadas.

SERVIÇO:

Evento: lançamento de livro Reinvenção da cidade – interação, equidade, planeta

Data: 18/03/22 (sexta-feira)

Horário: 19h

Local: Livraria da Travessa – Shopping Leblon

Autor: Sérgio Magalhães

Editora: Rio Books

Páginas: 132

Ano de publicação: 2021

ISBN: 9786587913698

Versões: Português (livro físico, eBook e audiolivro) e Inglês (eBook)

 


/