Exposição

Light fala sobre estações do ano, nas redes sociais

As estações são aboradas pela Light, nas redes sociais do seu Centro Cultural, neste mês. São cinco tópicos, com destaque para o artista Di Cavalcanti

8 de setembro de 2020
Centro Cultural Light aborda as estações do ano, em suas redes sociais (Foto: Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Em setembro, o Centro Cultural Light irá abordar as estações do ano, em suas redes sociais. O público terá a oportunidade de aprender um pouco de história e entender a influência da eletricidade, na forma como os seres humanos identificam a divisão das estações ao longo do ano. Há um destaque especial à obra do renomado artista Di Cavalcanti.

Estão disponíveis conteúdos conceituais, atividades experimentais, além de vídeos curtos e dinâmicos. A programação vai ao ar toda semana no Instagram, Facebook e Youtube (@centroculturallight).


LEIA TAMBÉM

VLT Carioca defende moradias para recuperar o Centro

Donos do Moinho Fluminense vão lançar projeto multiuso no Porto

Docas do Rio tem lucro de quase R$ 1 bilhão em 2019


Light: os tópicos da exposição

Por que o ano se divide em estações? E a temporalidade em Di Cavalcanti
O conteúdo explica as diferentes formas de dividir o ano por meio de estações ao redor do mundo, além de falar da evolução nas maneiras que o ser humano encontrou para observar e registrar as mudanças da natureza. O espaço dá especial atenção à obra de Di Cavalcanti, o pintor brasileiro que desenvolveu uma linguagem muito pessoal sobre nossa cultura.

Percepções e comportamento
As atividades são compostas pelas diferentes perspectivas das estações do ano, com atividades experimentais e abordagens das alterações que a energia elétrica causa no comportamento das pessoas.

A Estação das Artes
Educadoras do espaço ensinam a construir um relógio solar e como dar um novo significado para as folhas de cadernos que não já não são mais usados.

É chegada a primavera
Reflexão sobre os simbolismos dessa estação, a partir de ditados clássicos sobre a primavera, como “quem dorme na primavera, chora no inverno” ou “uma palavra gentil é como um dia de primavera”. Além disso, a Primavera de Museus traz uma discussão sobre como compartilhar o conhecimento em um período de isolamento social.

O que podemos aprender com os pássaros sobre a primavera?
Perguntas e respostas sobre a perspectiva de outras espécies em torno do ciclo das estações, evocando a ciência e a poética por trás desse comportamento.