Latam vai retomar voos do Galeão para Santiago | Diário do Porto


Turismo

Latam vai retomar voos do Galeão para Santiago

Os voos internacionais da Latam a partir do Galeão estão suspensos desde abril de 2020. Aeroporto sofre ameaça de esvaziamento com leilão do Santos Dumont

25 de setembro de 2021

Latam: primeiro voo a ser retomado no Galeão será para Santiago (Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Suspensos desde abril de 2020 por causa da pandemia, os voos internacionais da Latam devem voltar ao Galeão. A informação é da coluna Capital/O Globo. O primeiro será para Santiago.

O único aeroporto internacional do Rio de Janeiro, que recebeu investimentos vultuosos por ocasião da Copa do Mundo em 2014 e principalmente da Olimpíada de 2016, está sob a ameaça do leilão para a concessão do aeroporto Santos Dumont. O governo ampliou as permissões de uso do Santos Dumont para torná-lo mais atrativo, que é visto pelo setor empresarial e por gestores públicos do Rio como risco de inviabilizar o Galeão como hub aeroportuário.

A coluna diz que o ROGaleão, em agosto deste ano, teve apenas 12% de oferta de assentos internacionais que teve em agosto de 2019. Já em setembro subiu para 16% comparado com o mesmo mês de 2019.

 


LEIA TAMBÉM:

Rio tem superávit na balança comercial de US$ 6,2 bi

Setor de serviços puxa retomada dos empregos no Rio

Rio desperdiça R$ 1 bi em resíduos recicláveis


Em agosto, a oferta de assentos internacionais no RIOgaleão ficou em 12% do que era em agosto de 2019. Em setembro, a oferta subiu para 16% do que era dois anos atrás, segundo OAG, provedor global de dados de viagens.

A Latam chegou a anunciar a retomada do voo para Santiago no início do ano, mas a estreia foi adiada com as restrições impostas pelo Chile à entrada de turistas brasileiros.

Serão 3 voos semanais saindo do Galeão para Santiago. Hoje a empresa conecta São Paulo e Santiago com 10 voos semanais saindo de Guarulhos e, até dezembro, essa frequência será elevada a 18 voos por semana. O Chile abriu as fronteiras para brasileiros, mas é preciso estar totalmente vacinado.