Sustentabilidade

Jogo do boto-cinza: salve a Baía de Guanabara

Museu do Amanhã homenageia um símbolo do Rio, ameaçado de extinção, em totem interativo na exposição principal, onde o visitante pode conhecer mais sobre a Baía

22 de outubro de 2018
Novo totem interativo na exposição principal (Foto: Albert Andrade/Museu do Amanhã)

Compartilhe essa notícia em sua rede social:
Novo totem interativo na exposição principal (Foto: Albert Andrade/Museu do Amanhã)

Dono de uma das mais bonitas vistas da Baía de Guanabara, o Museu do Amanhã homenageia um símbolo do Rio de Janeiro, estampado no brasão da cidade. No ‘Jogo do Boto-Cinza’, o visitante pode conhecer mais sobre a Baía, conduzindo o ilustre morador de seu ecossistema até um grupo de animais da mesma espécie.

Mamífero que nasce e passa a vida inteira na baía, o boto-cinza está ameaçado de extinção. Da população de mais de mil indivíduos na década de 1970, hoje restam pouco mais de 20 golfinhos. A novidade faz parte da nova atração da Exposição Principal: o totem interativo ‘Baías de Todos Nós’, aberto na sexta-feira (19).

Além de conteúdo exclusivo sobre a Baía de Guanabara e seus futuros possíveis, o totem traz cases de mais quatro baías, cada uma localizada em um continente diferente: Sydney (Austrália), Tóquio (Japão), Chesapeake (Estados Unidos) e Jacarta (Indonésia).

A experiência permite conferir de perto características e realidade de cada baía, aspectos de biodiversidade, economia, aquicultura, pesca, situação de saneamento e ações de despoluição adotadas por cada local.

São três telas interativas sobre as cinco baías e outra com fotos e notícias sobre o tema, com ênfase sobre a Guanabara. Os visitantes ainda são estimulados a publicar fotos de denúncia por meio da plataforma Colab ou mesmo imagens bonitas, com #baiasdetodosnos, no Instagram.

Fonte: Museu do Amanhã, com Redação

Compartilhe essa notícia em sua rede social: