Música

Centenário de Geraldo Pereira é lembrado no Rival

Monarco (foto) também foi escalado para reverenciar compositor que deixou clássicos do samba. Os 18 anos da morte de João Nogueira também foram lembrados

29 de outubro de 2018
Baluarte da Portela, Monarco participa da homenagem a Geraldo Pereira)

Compartilhe essa notícia em sua rede social:
Geraldo Pereira
Geraldo Pereira faria 100 anos em 2018 (Foto: Álbum de família)

Geraldo Pereira? Talvez você não esteja ligando o nome à obra. Mas com certeza conhece clássicos desse ícone do samba, morto em 1955 poucos dias depois de uma briga com o lendário malandro Madame Satã.  O que dizer de Sem compromisso (Você só dança com ele e diz que é sem compromisso/ É bom acabar com isso/ Não sou nenhum pai-joão…). O petardo foi lançado em 1944 e tiro certeiro até hoje, mais de 70 anos depois, em qualquer roda de samba que se preze.

Nesta quinta-feira (1), abrindo a programação de novembro no Teatro Rival Petrobras, o show ‘Eu também tô aí – Os 100 anos de Geraldo Pereira’ presta um tributo ao compositor que nos deixou Sem compromisso e outros clássicos como Falsa baiana, Bolinha de papel, Escurinho, Cabritada mal sucedida, Acertei no milhar.

Com os pés plantados na tradição do samba, ele criou um estilo inconfundível, sincopado e matreiro, que apontou para o futuro e fez a roda da música girar, fornecendo subsídios para outras vertentes musicais, como o Samba de Gafieira, a Bossa Nova e o Sambalanço.  Foi gravado por grandes nomes da nossa música, como João Gilberto, Chico Buarque, Paulinho da Viola, Gilberto Gil, Elis Regina, Gal Costa, Wilson Simonal e Alcione.

Em 2018, Geraldo Pereira completaria 100 anos se fosse vivo. Para celebrar seu legado o show traz o cantor e compositor Tuco Pellegrino; o produtor, pesquisador musical, ator e cantor Rodrigo Alzuguir; e o cantor, jornalista e pesquisador Pedro Paulo Malta. Para interpretar os sucessos de Geraldo Pereira, esse trio ainda vai contar com as participações especiais de Monarco, Soraya Ravenle, Tantinho da Mangueira e Ilessi.

Homenagem a João Nogueira

Outro grande ícone do samba recebeu homenagem esta semana no Teatro Rival Petrobras. Fechando outubro, os 18 anos da morte de João Nogueira foram lembrados na voz de Vagner Jacomo com o espetáculo ‘Malandro Tem Que Respeitar’, na terça-feira (30).

Vagner Jacomo descobriu o violão aos 11 anos e desde então não parou de tocar. O artista, que sempre se inspirou em grandes nomes da música brasileira, já foi indicado ao Prêmio da Música, em 2015, com o primeiro EP autoral. Agora ele está voltado para a obra de João Nogueira e, para reverenciá-lo, criou este espetáculo que ele vê como um “teatro musicado”.

No show, ele faz um passeio pelo cancioneiro do sambista ao longo de seus 40 anos de carreira, trazendo também histórias e imagens que ilustram a vida do artista. Os textos foram inspirados na disco-biografia de João Nogueira, escrita por Luiz Fernando Vianna. O espetáculo tem a supervisão de Clarisse Nogueira (filha de João), responsável pela produção do evento, e de Paulão 7 Cordas que assina a direção musical.

Além de Paulão, acompanham Jacomo os músicos Douglas Bastos (violão 6 cordas), Rodrigo Reis (percussão), Léo Bandeira (bateria), Vini Lobo (baixo), Rodrigo Revelles (sax e flauta) e Wanderson Martins (cavaquinho). Entre as canções do repertório estão Do Jeito Que o Rei Mandou, Nó na Madeira, E lá Vou Eu, Súplica, Poder da Criação, Sonho de Bamba, Espelho, Correntes de Aço, Baile no Elite, Pimenta no Vatapá e Mineira.

SERVIÇO:

Teatro Rival Petrobras

Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Centro/Cinelândia – Rio de Janeiro

Data:  1º de novembro (quinta-feira), às 19h39. Abertura da casa: 18h

Ingressos: R$ 60 (inteira), R$ 40 (promoção para os 100 primeiros pagantes), R$ 30 (meia-entrada)

Venda antecipada pela Eventim –http://bit.ly/Ingressos2z0P23j

Bilheteria: Terça a Sexta das 13h às 21h | Sábados e Feriados das 16h às 22h

Censura: 18 anos

Informações: (21) 2240-9796 e www.rivalpetrobras.com.br

Capacidade: 350 pessoas. Metrô/VLT: Estação Cinelândia

*Meia entrada: estudantes, idosos, professores da rede pública, funcionários da Petrobras, clientes com Cartão Petrobras e assinantes O Globo

Compartilhe essa notícia em sua rede social: