Imóveis

Imóveis no Rio têm melhor agosto em 4 anos

Mercado de imóveis vem dando sinais de recuperação, na cidade. Foram 3.500 negociações concretizadas no mês passado, melhor resultado desde 2017

30 de setembro de 2020
Mercado de imóveis residenciais tem 18.237 vendas, de janeiro a agosto, no Rio (Foto: Deposit Photos)

Compartilhe essa notícia:


O mercado de imóveis residenciais do Rio dá sinais de recuperação. Apesar da pandemia, agosto apresentou o melhor índice de compra dos últimos 4 anos, segundo o Secovi Rio, com 3.500 negócios concretizados. Desde 2017 que os números não eram tão bons no mês.

A alta nas transações com imóveis, de acordo com o Secovi-Rio, pode ser explicada pelos juros baixos, flexibilização de medidas de distanciamento social e maior oferta de crédito imobiliário. De janeiro a agosto, foram 18.237 transações residenciais no Rio, com destaque para a Zona Oeste. Dos cinco locais com mais vendas, quatro encontram-se na região. Os bairros com mais registros foram: Barra da Tijuca (1.687), Recreio dos Bandeirantes (1.682), Jacarepaguá (1.163), Campo Grande (1.023) e Copacabana (967).

“Estes números positivos de agosto mostram que, apesar do período crítico de isolamento social, muitas famílias não deixaram de lado seus planos para o futuro. Assim, a fase de retomada da economia deu mais segurança para as pessoas enxergarem boas oportunidades, gerando negociações relevantes para o mercado imobiliário carioca como um todo”, diz em nota Leonardo Schneider, vice-presidente do Secovi Rio.

Imóveis mais caros no Leblon

Em relação ao valor médio dos imóveis, os bairros mais caros foram: Leblon (R$ 2.513.896), Ipanema (R$ 2.424.344), Barra da Tijuca (R$ 1.400.720), Botafogo (R$ 910.221) e Flamengo (R$ 803.473). Os dados foram obtidos através de números do ITBI (Imposto sobre a transmissão de bens imóveis) da Prefeitura, que corresponde a 3% do valor do imóvel.

Veja bairros com mais imóveis vendidos:

Imóveis residenciais: Zona Oeste teve maior número de transações em agosto (Foto: Secovi Rio)

 


LEIA TAMBÉM

Ademi-RJ: mercado imobiliário se recupera na pandemia

Edifício A Noite: edital para leilão está pronto

Turismo no Bondinho e Cristo supera expectativas