Trapiche Gamboa | Diário do Porto

Trapiche Gamboa

Um casarão charmoso e centenário, ambiente animado e acolhedor. Um lugar descontraído e sofisticado, onde o samba é de raiz. Localizado no coração da Região Portuária, bem no berço real do samba carioca, onde viveram Pixinguinha e João da Baiana, o Trapiche Gamboa é uma das casas mais procuradas da cidade por quem gosta de samba de verdade. Fica entre três ícones da região: a Pedra do Sal, a Ladeira do Valongo e o Largo da Prainha.

Compartilhe essa notícia:


O Trapiche esta hoje em um casarão antigo e totalmente reformado Foto divulgação

Um casarão charmoso e centenário, ambiente animado e acolhedor. Um lugar descontraído e sofisticado, onde o samba é de raiz. Localizado no coração da Região Portuária, bem no berço real do samba carioca, onde viveram Pixinguinha e João da Baiana, o Trapiche Gamboa é uma das casas mais procuradas da cidade por quem gosta de samba de verdade. Fica entre três ícones da região: a Pedra do Sal, a Ladeira do Valongo e o Largo da Prainha.

Não estamos falando de uma casa de show ou uma boate. O Trapiche Gamboa é um bar, com bons petiscos, cerveja gelada, boas cachaças e aquela caipirinha no capricho. Também é uma casa de show, inaugurada em 2004. Tem gente que acha que é boate.

As rodas de samba se formam geralmente as terças, quintas, sextas e sábados. É bom conferir no site ou no facebook do Trapiche os horários e preços de entradas.

O Trapiche Gamboa tem algumas mesas, mas a pista cheia é a boa pedida para quem tem samba no pé – ou, vá lá, na alma. A casa também é cenário para as gravações do programa “Samba na Gamboa”, apresentado pelo sambista Diogo Nogueira e exibido pela TV Brasil. O edifício hoje revitalizado é um sobrado do Brasil de Dom Pedro II, de 1857. Lindo.

O Trapiche é um dos mais tradicionais locais de samba do Rio. Foto divulgação

A construção mantém seu imponente pé direito de 13 metros e o piso original, além da parede de pedra revestida com óleo de baleia. Antes de virar referência do samba carioca, a casa de samba Trapiche Gamboa era uma oficina mecânica. No segundo andar, um mezanino convida os frequentadores a bater um papo com menos barulho. No terceiro andar, uma varanda oferece ar fresco com um barzinho à disposição.

Quem é do samba ou quer conhecê-lo de perto, carioca ou turista, não pode deixar de se encontrar as gerações do gênero no Trapiche Gamboa, onde as rodas de samba lembram a conformação dos antigos terreiros.
Durante a semana, não há classificação etária, mas às sextas e sábados o limite é acima de 18 anos. A casa abre de segunda à quinta às 18h30, na sexta às 19h30 e sábado às 20h30. Reservas de mesas podem ser feitas pelo telefone 2516 0868, de terça a sexta, entre 14h e 20h. A capacidade é para 250 pessoas.

O Trapiche Gamboa fica a 500 metros da estação do VLT Parada dos Navios. Já a estação de metrô mais próxima é a Presidente Vargas, a 750 metros. Para quem prefere ir de carro, o bar fica a menos de 100 metros de um estacionamento rotativo, na Rua Camerino, 20.