Portela

A Portela é a maior campeã do carnaval carioca. A Portela foi fundada em 11 de abril de 1923 no bairro de Oswaldo Cruz, vizinho a Madureira. Sendo a mais antiga escola de samba em atividade permanente, é a única que participou de todos os desfiles da cidade.

Compartilhe essa notícia em sua rede social:
No carnaval de 2016, a Portela apresentou o enredo “No voo da águia, uma viagem sem fim” Foto: Tata Barreto/Riotur

“…Teus livros têm tantas páginas belas. Se for falar da Portela, hoje não vou terminar…”

Assim canta a Velha Guarda da Portela a música “Passado de Glória”, uma das composições memoráveis de Monarco exaltando a maior campeã do carnaval carioca. A Portela foi fundada em 11 de abril de 1923 no bairro de Oswaldo Cruz, vizinho a Madureira. Sendo a mais antiga escola de samba em atividade permanente, é a única que participou de todos os desfiles da cidade.

Foi a campeã do primeiro concurso de escolas de samba (não oficial) em 1929, organizado por Zé Espinguela e, desde então, soma 22 campeonatos e uma legião de fãs pelo país e até no exterior.

Em 1922, enquanto os modernistas lançavam o principal manifesto da arte brasileira em São Paulo, no modesto bairro de Oswaldo Cruz a cultura também fazia história. Uma dissidência do bloco “Quem fala de nós come mosca” decidiu fundar outro bloco.

Galdino Marcelino dos Santos, Antônio Rufino dos Reis, Antônio da Silva Caetano e Paulo Benjamim de Oliveira (conhecido como Paulo da Portela por morar na Estrada do Portela) fundaram o “Baianinhas de Osvaldo Cruz”. No ano seguinte, já tinha diretoria e estatuto. Como o que não falta no mundo do samba é briga, desentendimentos levaram integrantes do “Baianinhas” a se desligar e fundar um novo bloco carnavalesco.

A escola conseguiu reproduzir as águas do mar na Sapucaí em 2016 Foto: Fat Press/Liesa

A versão adotada como oficial pela Portela é de que, em 11 de abril 1923, reunidos em uma casa na qual funcionava o Bar do Nozinho, no número 412 da Estrada do Portela, Paulo da Portela, Antônio Rufino e Antônio Caetano fundaram o Conjunto Carnavalesco Osvaldo Cruz, que mais tarde, como escola de samba, receberia o nome de Portela. O bloco foi fundado com o preceito de brincar o carnaval com paz e alegria, evitando os confrontos entre blocos, característicos da época. Paulo da Portela foi escolhido o primeiro presidente.

Embora seja a maior campeã do carnaval, a Portela amargou um jejum doloroso de 33 anos sem vitórias: depois de dividir o campeonato com a Mangueira no primeiro ano do Sambódromo, em 1984, só voltou ao pódio em 2017, pelas mãos do carnavalesco Paulo Barros e um enredo que entoava as glórias da própria agremiação.

Os campeonatos da Portela:

1935 –  O samba dominando o mundo

1939 – Teste ao samba

1941 – Dez anos de glória

1942 – A vida do samba

1943 – Carnaval de guerra

1944 – Motivos patrióticos

1945 – Brasil glorioso

1946 – Alvorada do novo mundo

1947 – Honra ao mérito (Santos Dumont)

1951 – A volta do filho pródigo (Getúlio Vargas)

1953 – As seis datas magnas

1957 – Legados de Dom João VI

1958 – Vultos e efemérides do Brasil

1959 – Brasil, pantheon de glórias

1960 – Rio, capital eterna do samba

1962 – Rugendas ou Viagens Pitorescas através do Brasil

1964 – O segundo casamento de Dom Pedro I

1966 – Memórias de um sargento de milícias

1970 – Foi um rio que passou em minha vida

1980 – Hoje tem marmelada?

1984 – Contos de areia

2017 – Quem nunca sentiu o corpo arrepiar ao ver esse rio passar

Confira o canal da Portela no Youtube: 

Compartilhe essa notícia em sua rede social: