Museu Histórico Nacional

O Museu Histórico Nacional é o mais importante museu de História do Brasil por suas dimensões e principalmente pela variedade de seu acervo permanente. Fica na antiga Ponta do Calabouço, onde os portugueses construíram a Fortaleza de Santiago, em 1603. O prédio só deixou de ser unidade militar em 1908, quando o Arsenal de Guerra foi transferido para o bairro do Caju.

A entrada do Museu (Pedro Kirilos/Riotur)
Compartilhe essa notícia em sua rede social:
Exposição sobre o grupo Nirvana (Alexandre Macieira/Riotur)

O Museu Histórico Nacional é o mais importante museu de História do Brasil por suas dimensões e principalmente pela variedade de seu acervo permanente. Fica na antiga Ponta do Calabouço, onde os portugueses construíram a Fortaleza de Santiago, em 1603. O prédio só deixou de ser unidade militar em 1908, quando o Arsenal de Guerra foi transferido para o bairro do Caju.

Na década de 1920, a área foi aterrada e reurbanizada para a Exposição Internacional do Centenário da Independência do Brasil. As edificações do atual Museu Histórico Nacional foram ampliadas e embelezadas, sob inspiração da arquitetura neocolonial. O acervo é impressionante: 258 mil itens, entre objetos, documentos e livros.

Da Fortaleza de Santiago e da Prisão do Calabouço, restam só as fundações, mas a Casa do Trem foi restaurada ao seu aspecto colonial, assim como o prédio do Arsenal de Guerra, o imponente Pátio da Minerva e o Pavilhão da Exposição de 1922, atual Biblioteca.

O Museu Histórico Nacional é um dos mais significativos conjuntos arquitetônicos da cidade, com 20 mil metros quadrados. Metade da construção é aberta ao público, com galerias de exposições de longa duração e temporárias, além da Biblioteca especializada em História do Brasil, da Arte, Museologia e Moda e do Arquivo Histórico com manuscritos, aquarelas, ilustrações e fotografias. Abriga muitas exposições de temas contemporâneas. 

Pitorescos pátios internos e uma cafeteria oferecem opções agradáveis de descanso. Você precisará disso após percorrer os 3,5 quilômetros da Orla Conde, que começa no Armazém 8 do Porto Maravilha e termina aqui, no Museu Histórico Nacional, pertinho do Aeroporto Santos Dumont. Os ingressos para o acervo permanente custam R$ 10, com meia entrada a R$ 5, mas aos domingos a entrada é franca. Há preços distintos para exposições temporárias. 

O Arquivo Histórico do Museu Histórico Nacional é formado por coleções, a maioria de caráter privado, que abrigam 55.600 documentos iconográficos e manuscritos, importantes para a história do Brasil. Pode ser consultado nos dias úteis, mas é preciso agendar pelo telefone 3299-0368. 

Compartilhe essa notícia em sua rede social: