Espaço Cultural da Marinha

A criançada adora o programa, mas os adultos também têm muito a ver e aprender no Espaço Cultural da Marinha. Logo na entrada deste túnel do tempo, a Galeota D. João VI leva você a 1808, o ano mais importante da história do Rio de Janeiro. Fugindo de Napoleão Bonaparte, a Família Real desembarcou por aqui, fazendo do Rio de Janeiro a sede do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. A partir daquele ano, tudo seria diferente.

Espaço Cultural da Marinha (Alexandre Macieira/Riotur)
Compartilhe essa notícia em sua rede social:
Local é garantia de diversão para adultos e crianças. Foto: Aziz Filho

A criançada adora o programa, mas os adultos também têm muito a ver e aprender no Espaço Cultural da Marinha. Logo na entrada deste túnel do tempo, a Galeota D. João VI leva você a 1808, o ano mais importante da história do Rio de Janeiro. Fugindo de Napoleão Bonaparte, a Família Real desembarcou por aqui, fazendo do Rio de Janeiro a sede do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. A partir daquele ano, tudo seria diferente.

Uma exposição aberta ao público, ” Azul da cor do mar”, aborda as Grandes Navegações. Mas as atrações mais badaladas do Espaço Cultural da Marinha são o Submarino Museu Riachuelo, o Contratorpedeiro Museu Bauru (que participou da Segunda Guerra Mundial), o Helicóptero Museu Sea King, a Nau dos Descobrimentos e o carro de combate Cascavel.

O visitante pode conhecer o Helicóptero Museu Sea King Foto:(reprodução internet)

Do Espaço Cultural da Marinha partem dois passeios, um pela Baía de Guanabara e o outro para a Ilha Fiscal (ver atração à parte). Os ingressos são baratos: R$ 10 (meia a R$ 5), mas sem direito aos passeios). Para a Ilha Fiscal ou para o passeio pela Baía são R$ 30 e R$ 15, respectivamente.

A Marinha recomenda que sejam tomados cuidados no deslocamento, pois há riscos de queda, colisão com a cabeça e reações nervosas a espaços confinados. Não é um passeio recomendado para pessoas que sofrem de claustrofobia, cardíacas, gestantes e idosos.

Tampouco é permitido comer ou beber nos circuitos expositivos. Recomenda-se o uso de salto baixo para permitir mais equilíbrio e apoio nos degraus das escadas. As atrações podem ser fechadas em caso de chuva forte. Se isso acontecer, não desanime. Há várias opções culturais nas imediações da Orla Conde.

Toda essa região, hoje batizada como Orla Conde, tinha suas preciosas construções escondidas pelo Viaduto da Perimetral, demolido para a reurbanização da cidade com vistas à Olimpíada de 2016.

Compartilhe essa notícia em sua rede social: