Grandes construtoras têm lançamentos residenciais para o Rio | Diário do Porto

Imóveis

Grandes construtoras têm lançamentos residenciais para o Rio

Lançamentos estão mais concentrados para as faixas alta e média de renda. Mercado avalia que é preciso aumentar empregos para beneficiar baixa renda

8 de março de 2020
Terreno ao lado da Base Aérea do Campo dos Afonsos, na zona oeste, tem lançamento de dois edifícios residenciais (foto: Tegra / Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Grandes construtoras e fundos de investimento estão fazendo lançamentos de novos empreendimentos residenciais no Rio de Janeiro, principalmente para a alta e média renda. Por trás desse movimento, há uma crença de que o mercado está se tornando mais favorável, graças à inflação baixa e à queda nos juros dos financiamentos.

Para consolidar essa tendência de crescimento e beneficiar todas as faixas de renda, antes é preciso recuperar a capacidade de gerar empregos e a confiança dos consumidores, avaliam agentes do mercado imobiliário.

Entre as construtoras, a Cyrella é por enquanto a que aposta mais alto, com a previsão de 11 lançamentos em 2020, quase o dobro do ano passado. Um dos empreendimentos já está com 50% das unidades vendidas desde o mês passado, na Lagoa, a partir de R$ 4,5 milhões. Outro lançamento de alto padrão acontece na Barra da Tijuca, já em fase de pré-reserva, o Latitud Condominium Design RJZ Cyrela, composto por 4 torres de apartamentos de 3 e 4 quartos com plantas de 120 m² à 372 m².

Mais uma construtora que está acreditando muito na retomada é a Concal, que tem 9 lançamentos previstos, o triplo do que realizou em 2019. Os novos empreendimentos somam R$ 900 milhões em VGV (Valor Geral de Vendas).


LEIA MAIS:

Marinha quer construir 320 apartamentos no Porto Maravilha

Direção da Caixa Econômica vai para o edifício Aqwa, no Porto

Apartamento de alto luxo no Rio, apreendido do tráfico, vai a leilão


Um dos grandes lançamentos da Concal é o Parque Archer, na Tijuca, com 264 apartamentos, com preços médios de R$ 900 mil. Em São Cristóvão, estão previstos dois projetos que somam 540 apartamentos, com preços médios abaixo de R$ 300 mil, e áreas pequenas de 30 metros quadrados, que atendem a nova legislação municipal. Para a faixa de altíssima renda, a construtora apresenta o Conde de Cascais, no Leblon, com um apartamento para cada um dos 6 andares e metragens que variam de 237 m² a 437 m².

Há empreendimentos em todas as regiões da cidade. Um dos exemplos de novas áreas é o Campo dos Afonsos Residencial Club, da Construtora Tegra, vizinho da Base Aérea dos Afonsos, com 198 apartamentos, em duas torres. As obras já começaram.

Já a Realizadora Opportunity, tem planos para lançar pelo menos 5 empreendimentos, totalizando R$ 700 milhões em VGV. Há um projeto previsto para a Tijuca, com apartamentos a partir de R$ 1 milhão. Em Botafogo, a partir de R$ 1,5 milhão, serão lançadas 376 unidades.

A Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) prevê que neste ano haverá crescimento de 20% a 30% nos lançamentos de imóveis de alto e médio padrão. Desempenho mais modesto, de 5% a 10%, deve ocorrer para os imóveis voltados à baixa renda, como os do Minha Casa Minha Vida.

Atualmente, o mercado imobiliário avalia que o déficit habitacional no Brasil chega a 7,8 milhões de moradias e que chegará a 9,9 milhões nos próximos 10 anos. Para superar esse quadro, voltar a gerar empregos é fundamental, além de manter o atual cenário de inflação e juros baixos.