Governo quer RIOgaleão como o principal aeroporto do país | Diário do Porto

Infraestrutura

Governo quer RIOgaleão como o principal aeroporto do país

RioGaleão sofre a concorrência de outros Estados e do Santos Dumont. Secretários de Transportes e do Turismo querem fortalecer o aeroporto internacional

6 de fevereiro de 2021
RIOgaleão, privado, perdeu passageiros para o Santos Dumont, estatal. Governo do Rio quer discutir situação com Governo Federal (foto: Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


O Aeroporto Internacional Tom Jobim (RIOgaleão) tem condições de voltar a ser o principal do país, segundo o secretário de Transportes do Estado, Delmo Pinho. Essa posição o Rio perdeu para São Paulo há mais de uma década e, mais recentemente, também para Brasília. Para reconquistar o terreno perdido, o Governo do Rio promete uma série de ações que estimulem o aumento de voos, visando geração de novos negócios, empregos e renda.

O secretário participou do debate Hub Aéreo do Galeão – desenvolvimento, oportunidades e desafios ao lado de Gustavo Tutuca, Secretário de Estado de Turismo, com mediação de Luís Cláudio Souza Leão, presidente do Clube Empreendedor, que promoveu o encontro.

Segundo Delmo Pinho, o RIOgaleão é o único aeroporto do país planejado originalmente para ser o maior hub (concentrador e distribuidor de voos) do país, com a melhor infraestrutura instalada para o atendimento ao público e às aeronaves.

No entanto, atualmente o aeroporto desempenha um papel secundário de alimentador para outros terminais, como Congonhas, Guarulhos e Brasília, concorrentes da economia do Rio, inclusive em voos internacionais. Um dos fatores para o esvaziamento do RioGaleão está na própria cidade. O Santos Dumont concentra voos nacionais que poderiam alimentar o hub aéreo do aeroporto internacional do Rio.

“O tráfego aéreo do RIOgaleão precisa ser remontado urgentemente. Boa parte dos passageiros de mercado próprio do Rio estão alocados de forma excessiva no Aeroporto Santos Dumont (SDU), e nós precisamos reverter isso. Precisamos definir o papel que cada um dos aeroportos vai desempenhar e permitir uma grade de voos adequada para a cidade”, explica Delmo Pinho.

Live - Clube do Empreendedor
“O Rio tem condições de ser um dos dois principais hubs aéreo do país”, afirmou Delmo Pinho, secretário de Transportes

Transporte aéreo afetado pela pandemia

No atual cenário, como reflexo da pandemia e de seus efeitos sobre a economia, a indústria do transporte aéreo é um dos setores mais afetados, apresentando no país redução de demandas de viagens da ordem de 85% a 90% em relação a 2019.

“Um aeroporto com essa qualidade e infraestrutura precisa ser reordenando. Nós precisamos fortalecer o desenvolvimento aeroviário e reduzir o custo da concessionária. Entre elas, a diminuição da alíquota do ICMS sobre o querosene da aviação, que não beneficiaria somente o RIOgaleão, mas todos os aeroportos”, comenta Gustavo Tutuca.

Além disso, o secretário de Turismo afirma que o Governo do Rio vai recorrer ao Governo Federal para uma nova regulação dos voos em ambos aeroportos da cidade, pois o Santos Dumont ainda tem administração estatal, realizada pela Infraero, que está prejudicando uma concessão privada, no RioGaleão.

Um levantamento apresentado pelo Secretário de Transportes apontou que de 2012 a 2019, os aeroportos no Rio de Janeiro tiveram um aumento de 0,7% de voos, ou seja, uma estagnação. Com a retomada recente nas viagens e o fortalecimento do turismo doméstico, o SDU recuperou 62% das suas rotas, um número muito superior ao do RIOgaleão, que teve apenas 33%.

“A cidade perdeu o uso conjugado dos aeroportos. Ao invés de trabalharem em aliança para beneficiar o cidadão e a economia, os aeroportos do Rio estão competindo entre si, o que é ótimo para os concorrentes de outros Estados”, enfatizou Delmo PInho.

Santos Dumont
Santos Dumont concentra passageiros do Rio, prejudicando o RIOgaleão (foto: Divulgação)

RIOgaleão x Santos Dumont

A localização é um fator que pesa na disputa entre os aeroportos da cidade. O consenso é que o Santos Dumont tem a vantagem de estar no Centro e próximo à Zona Sul, perto do que interessa à maioria dos passageiros. Mas a infraestrutura, custos e possibilidade de maior oferta de voos são fatores em favor do RIOgaleão.

De acordo com o secretário Tutuca, as principais rotas de acesso ao RIOgaleão (Vias Vermelha e Amarela) também precisam aumentar o grau de segurança, para que o aeroporto seja mais atrativo.

“O Governo do Rio, em parceria entre a Polícia Civil e Militar, irá implementar um programa especial de policiamento dessas vias. Além de manter a queda dos índices, a gente pretende aumentar a sensação de segurança”, disse.

 


LEIA TAMBÉM

Firjan diz que Reforma Tributária elevará a renda no país

Presidente da Fecomércio RJ é Embaixador do Turismo

Reviver Centro enviará propostas para os vereadores