GE modernizará Itaipu e estuda energia eólica no Rio | Diário do Porto


Infraestrutura

GE modernizará Itaipu e estuda energia eólica no Rio

Itaipu será modernizada pela GE Renewable Energy, depois de 37 anos de operação. O grupo empresarial estuda um parque eólico no litoral do Estado do Rio

5 de maio de 2022

A GE assinou contrato de US$ 649 milhões para modernizar a hidrelétrica de Itaipu (foto: Itaipu Binacional / Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Depois de 37 anos gerando energia, a hidrelétrica binacional Itaipu terá modernização tecnológica, em um contrato de US$ 649 milhões assinado pelos gestores brasileiros e paraguaios da usina com empresas que compõem a GE Renewable Energy, divisão da GE internacional. Itaipu, tem capacidade instalada de 14 GW, o suficiente para atender 30 milhões de pessoas, o que equivale às populações do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Sergipe.

A GE (General Eletric) é um grupo empresarial dos Estados Unidos que atua há 103 anos no Brasil. No Rio de Janeiro, mantém a GE Celma, em Petrópolis, especializada na manutenção de turbinas de avião. Notícias recentes sobre o foco de negócios do grupo no pós pandemia mostram que a prioridade são projetos de energias limpas. Há informações de bastidores de que a GE negocia a instalação de um grande parque de geração eólica na costa do Estado do Rio e no Nordeste.

Itaipu é a usina que mais produziu energia na história: mais de 2,8 bilhões de Gigawatts-hora desde 1984. Além disso, com 14 GW, ela ainda é a maior hidrelétrica do mundo em capacidade instalada. Cada uma das 20 máquinas geradoras tem capacidade para abastecer uma cidade com 1,8 milhões de habitantes e sua barragem atinge quase 200 metros de altura com 8 de extensão.

O projeto de atualização tecnológica está previsto para durar 14 anos e será feito em equipamentos e sistemas de todas as 20 unidades geradoras, além de melhorias nos sistemas de ajuste, proteção, controle, regulação e supervisão da hidrelétrica. A usina é responsável pelo fornecimento médio de 8,4% da energia consumida no Brasil e 85,6% no Paraguai.

Além da modernização das 20 unidades geradoras, a GE fará a atualização dos sistemas de gerenciamento de entrega de energia, sistemas de automação, além de novas subestações compactas, para aumentar a confiabilidade dos serviços auxiliares da usina. As obras ocorrerão até 2036 e a atualização de cada unidade levará em média 6 meses.

O diretor técnico executivo da Itaipu, David Krug, afirmou que o investimento é necessário porque muitos equipamentos estão operando há quase 40 anos e, em alguns casos, o fabricante não existe mais o que impossibilita a reposição de peças.


LEIA TAMBÉM:

Palácio Pedro Ernesto é o1º prédio público Lixo Zero do Brasil

Dolores Club: a nova casa de jazz e bossa nova do Rio

André Ceciliano reúne mais de 12 mil na Baixada