Galeão terá novo galpão logístico | Diário do Porto


Infraestrutura

Galeão terá novo galpão logístico

Empreendimento logístico irá impulsionar setor de cargas do Aeroporto Internacional do Galeão. Investimento inicial será de R$ 50 milhões

22 de setembro de 2021

Aeroporto do Galeão começou 2022 com aumento de 42% no fluxo de cargas importadas (Marcos Gouvea/Agência Brasil)

Compartilhe essa notícia:


O Aeroporto do Galeão irá contar com um novo galpão logístico de alto padrão (AAA). A instalação terá uma área de aproximadamente 30 mil m². A iniciativa nasce de uma parceria entre a concessionária que administra o terminal e a Hire Capital, especialista em investimentos imobiliários. O investimento inicial ficará na casa dos R$ 50 milhões.

Com inauguração prevista para o final de 2022, o espaço terá oito módulos com 40 docas e deve gerar 1,8 mil empregos diretos e indiretos. O empreendimento se juntará a outros projetos imobiliários existentes no terminal de cargas do aeroporto, como o RIOgaleãoLOG e o Centro de Tratamento Internacional dos Correios (CEINT-RJ), além dos armazéns de carga das companhias aéreas domésticas e os galpões de importação e exportação.

Galeão quer se firmar como hub logístico e de passageiros

A expectativa da concessionária para o próximo ano é de expandir ainda mais o seu condomínio logístico, também conhecido como RIOgaleão Cargo Village. O novo projeto irá compor os mais de 185 mil m² dedicados à operação de cargas do aeroporto, chegando a um total de R$ 180 milhões em investimento no setor.

A inauguração reforça o posicionamento do Aeroporto Internacional Tom Jobim como um dos mais preparados hubs logísticos do Brasil. Recentemente, a Secretaria de Fazenda do estado regulamentou lei aprovada pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e sancionada pelo governador Cláudio Castro que reduz o ICMS do querosene de aviação para operações nos aeroportos fluminenses. O objetivo da iniciativa é aumentar a competividade do Galeão e torná-lo um dos principais hubs aéreos do País.


LEIA TAMBÉM:

Paquetá, um paraíso maltratado pela CCR Barcas

Novos empreendimentos do Porto focam nas bikes

Cassinos voltam à discussão na Câmara