Galeão será licitado com Santos Dumont em 2023 | Diário do Porto


Economia

Galeão será licitado com Santos Dumont em 2023

Governo Federal irá licitar o Galeão com o Santos Dumont. Ministro Tarcísio de Freitas prevê que leilão seja realizado no segundo semestre de 2023

11 de fevereiro de 2022

Após saída da Concessionária Changi, Governo Federal anuncia que Galeão será licitado em bloco com Santos Dumont (Divulgação/RioGaleão)

Compartilhe essa notícia:


Pouco mais de uma hora após a Concessionária Changi informar que vai deixar a operação do Galeão, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, anunciou em coletiva que o Aeroporto Internacional do Galeão será incluído no novo Bloco 8 da Rodada de Concessão dos Aeroportos Federais e licitado conjuntamente com o Santos Dumont. Com isso, o novo concessionário poderá operar conjuntamente os dois principais terminais aeroportuários do Estado.

“Com a oportunidade criada pela saída da Changi vamos fazer a concessão do Galeão e Santos Dumont em conjunto. Assim, Galeão e Santos Dumont terão o mesmo operador. Estamos atendendo as reinvindicações da sociedade e do setor produtivo do Rio” disse o ministro.

Freitas informou que agora serão iniciados os trâmites legais para o novo processo de licitação. A Lei 13.488 estabelece um prazo de dois anos para que concessões devolvidas ao poder concedente, no caso o Governo Federal, sejam relicitadas. Mas ele acredita que esse prazo possa ser abreviado e o novo certame ser realizado ainda no segundo semestre de 2023. O ministro informou também que serão apurados os valores dos investimentos feitos pela Changi para verificar se haverá ou não ressarcimento à concessionária. Ele disse ainda que o valor pago de outorga pela nova concessionária poderá ser utilizado para eventual indenização ao grupo de Cingapura. O vencedor do novo leilão não terá obrigação com eventuais dívidas ou passivos do contrato antigo. Se houver, essa será uma obrigação do Governo Federal.

Bloco Galeão/Santos Dumont agrada Portinho

A decisão de licitar conjuntamente Galeão e Santos Dumont foi comemorada pelo senador Carlos Portinho. O parlamentar foi uma das principais vozes do Rio contra o modelo de concessão proposto pelo Governo Federal ao Santos Dumont. Para ele, a nova modelagem privilegia e fortalece o sistema de Multiaeroportos do Rio. “Nunca é bom para o País a saída de um grande operador internacional de aeroportos. Mas sempre defendi o equipamento, o Galeão, e a sua importância para o desenvolvimento estratégico do estado e da cidade do Rio.  A possibilidade de unir num mesmo bloco GIG e Santos Dumont, numa nova concessão milita a favor do bom funcionamento do sistema Multiaeroportos da cidade e do estado, um dos temas que venho defendendo desde o início do meu mandato”, completou Portinho

O senador defende a continuidade do grupo de trabalho que vinha debatendo mudanças no edital de concessão do Santos Dumont. Uma das vitórias do coletivo foi a retirada dos aeródromos mineiros do bloco do Santos Dumont. Porém, na coletiva, Tarcísio de Freitas disse que a inclusão do Galeão no bloco do Santos Dumont fez o grupo perder o sentido, pois os dois aeroportos terão um mesmo administrador. Portinho acredita que o colegiado terá um papel importante na elaboração do novo edital de concessão conjunta do Galeão e Santos Dumont.

“Claro que ainda importa ao Grupo de Trabalho do Santos Dumont aprofundar os estudos sobre o limite de passageiros do aeroporto central e os seus impactos na mobilidade e vizinhança. Contudo, a inclusão do Galeão no bloco do Santos Dumont vai facilitar a discussão e a operação dos dois equipamentos de forma harmônica e complementar, geridos por um mesmo concessionário”, disse Portinho.


LEIA TAMBÉM:

Changi deixa o Galeão e mostra desalento com o Brasil

Cais da Gamboa passará por primeira obra desde 1910

Sistema Fecomércio RJ adere ao Pacto Global da ONU


/