Galeão recebe A380 que não conseguiu pousar em Cumbica | Diário do Porto


Economia

Galeão recebe A380 que não conseguiu pousar em Cumbica

Pela segunda vez em janeiro, o mau tempo em São Paulo obriga o gigante A380 da Emirates a pousar na pista do Aeroporto Internacional do Galeão

31 de janeiro de 2022

Gigante A380 se aproximando para pouso no Galeão no sábado (Reprodução: AviationTV)

Compartilhe essa notícia:


Pela segunda vez neste mês, o Aeroporto Internacional do Galeão  foi a alternativa segura para receber um A380, o maior avião de passageiros do mundo, que tinha pouso originalmente marcado para Cumbica, em Guarulhos (SP). O gigante da Emirates Airlines, que fazia a rota Dubai-São Paulo, teve que recorrer ao terminal carioca por conta das más condições climáticas no aeródromo paulista. As informações são do Aeroin, site especializado em aviação.

As chuvas torrenciais que castigaram o Estado vizinho e provocaram pelo menos 19 mortes impediram que o mega jato tivesse a visibilidade necessária para um pouso com segurança em Guarulhos. A aeronave tentou aterrissar pela pista 27R (mais próxima do terminal de passageiros) e depois na 27L (mais à esquerda e próxima da base aérea paulista), ambas sem sucesso. A câmera ao vivo mantida pelo canal Golf Oscar Romeo no YouTube captou o momento: https://www.youtube.com/watch?v=hFWbAImjgm8&feature=emb_title

Após as duas tentativas de pouso sem sucesso e mais uma volta próxima a Mogi das Cruzes, os pilotos da Emirates acabaram optando por alternar para o Aeroporto Internacional do Galeão, sua alternativa de pouso quando Guarulhos está fechado ou com condições que impedem uma chegada segura.

Apesar de mais próximo e com pista apta a receber um avião desse porte, Viracopos, em Campinas, a 100 quilômetros de São Paulo, não tem estrutura aeroportuária de desembarque capaz de atender o número de passageiros transportado por um A380, que pode passar dos 800. Mas na configuração da Emirates para o Brasil leva 516. A companhia não divulgou a ocupação do voo desviado para o Galeão no sábado.

O Rio de Janeiro, no entanto, também não tinha céu claro, mas a tempestade já havia passado e o gigante Airbus A380 conseguiu fazer o pouso na cidade, repetindo o procedimento que já havia ocorrido na semana passada. O fato só reforça a importância do Galeão para a aviação nacional. É necessário fortalecê-lo para que no futuro o A380 deixe de ser um visitante ocasional para se tornar uma presença fixa no aeroporto porta de entrada do Rio para o mundo.

Em 16 de janeiro, também por causa de ventos e chuvas, o Galeão recebeu 9 voos que deveriam ter pousado em São Paulo e outros 3 que tinham destino para o Santos Dumont, conforme publicou o DIÁRIO DO PORTO na reportagem Mau tempo desvia 12 voos de SP e Rio para o Galeão.

 


LEIA TAMBÉM: 

Secretaria de Educação do RJ inaugura mural assinado por Di Couto

Amarelinho recebe Moacyr Luz e Samba do Trabalhador

Vassouras ganhará museu dedicado ao Ciclo do Café


/