FNM Rio de Janeiro lança caminhões elétricos | Diário do Porto

Empresas

FNM Rio de Janeiro lança caminhões elétricos

Marca histórica brasileira, a FNM renasce com sede no Rio e fabricação no RS. Novos caminhões elétricos têm design que fazem homenagem aos FeNeMês antigos

30 de outubro de 2020
O novo FNM é um caminhão elétrico cujo design homenageia os antigos FeNeMês que marcaram história no país (foto: protótipo digital)

Compartilhe essa notícia:


Um dos maiores símbolos da indústria automobilística nacional está renascendo em novembro. A Fábrica Nacional de Motores (FNM), conhecida popularmente como “FeNeMê”, ressurge com sede no Rio de Janeiro e fábrica no Rio Grande do Sul, para produzir caminhões elétricos de uso urbano.

A FNM foi criada em 1942, em Xerém, Duque de Caxias, para fazer motores de aviões. Sete anos depois, fabricou o primeiro caminhão e, em 1960, o primeiro carro, o JK 2000. A produção foi encerrada em 1985, depois que a Fiat assumiu o negócio e transferiu suas linhas de produção para Minas Gerais.

Durante muitos anos, os grandes caminhões FNM, com cara chata e rugidos graves do motor, foram presença marcantes no Brasil, sendo reconhecidos pela robustez e confiabilidade nas estradas precárias do país. Agora, a nova empresa atualiza o significado de seu nome e passa a se chamar Fábrica Nacional de Mobilidade (FNM – Rio de Janeiro).

Seus primeiros produtos, que começam a ser fabricados em Caxias do Sul em parceria com a Agrale, são os caminhões elétricos FNM 832, para 13 toneladas, e FNM 833, para 18 toneladas. Lideram a produção os irmãos e empresários Zeca Martins e Alberto Martins, sócios da holding proprietária da nova FNM.

FNM começou a renascer em 2008

O renascimento da FNM começou em 2008, quando uma empresa carioca do ramo de mobilidade adquiriu os direitos no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) para usar o nome da histórica marca brasileira – inclusive a logomarca, inspirada no clássico logotipo da Alfa Romeo.

Os novos FNM ostentam uma cabine de aspecto “vintage”, em uma releitura contemporânea dos antigos “FeNeMê” fabricados nos anos 60. O motor elétrico tem tecnologia norte-americana, com sistema de 650 volts e autonomia de 300 km.

Armas Nacionais - Modelismo & História: D11000 FNM - Alfa Romeo Militar

Caminhões FeNeMês, quando ainda eram produzidos em Xerém, para o Exército brasileiro

A FNM afirma que os caminhões da marca serão conectados ao fabricante e às respectivas empresas operadoras. A montadora planeja um modelo de negócios totalmente inédito no país, com “planilha aberta”, na qual todos os custos de produção dos veículos são apresentados – até a margem de lucro será aprovada pelos compradores.

As pré-vendas já estão acontecendo e, segundo a FNM, há um grande interesse pelo produto.

A busca por novos veículos que não poluam o ambiente está animando a indústria automobilística, no Brasil e no mundo. Recentemente, a VW Caminhões e Ônibus anunciou o início da sua produção de caminhões elétricos, na fábrica de Resende, no sul fluminense. Os primeiros já estão vendidos para a Ambev utilizar na rede de distribuição de bebidas, em São Paulo. Saiba mais no DIÁRIO DO PORTO.


LEIA TAMBÉM:

Fiocruz entregará vacina contra a Covid-19 em janeiro

Hubs no Rio: movimento cobra apoio de grandes empresas

Marinha lançará mais um submarino, no Rio