Flex Work: o modelo que mudou a forma de trabalhar da L'Oréal | Diário do Porto


Inovação

Flex Work: o modelo que mudou a forma de trabalhar da L’Oréal

Atracada no Porto, a francesa L´Oréal aposta em modelo de trabalho que mescla escritório e home office. Confira os benefícios da nova técnica que propõe flexibilidade

19 de novembro de 2018



Compartilhe essa notícia:


Funcionários da L’oréal ganham mais flexibilidade na rotina de trabalho (Divulgação)

Desde janeiro, um método de trabalho tem transformado a rotina dos funcionários da L’Oréal. O Flex Work, termo designado ao modelo de produção que alterna entre casa e escritório, foi implantado na empresa. Assim, uma vez por semana, os colaboradores podem realizar o home office. A equipe ganha mais flexibilidade.

O programa é parte das iniciativas da empresa para tornar o ambiente mais moderno e flexível. Nada a ver, segundo a empresa, com a crise financeira que levou a L´Oréal a decidir pelo fechamento da fábrica da Niely em Nova Iguaçu. As atividades da fábrica serão transferidas para São Paulo.

As áreas que aderiram ao modelo já observam bons resultados, como o aumento do foco no trabalho. Uma delas foi a área jurídica. Segundo Jucimar Pereira, diretor do Jurídico, o método permite que os trabalhadores organizem assuntos pessoais e fiquem mais presentes em família.

“O Flex Work entrou na nossa rotina, mas sem prejuízo para o trabalho que temos que desenvolver”, pontua Jucimar.

Maior produtividade

De acordo com Monique Garcez, gerente de finanças da Divisão de Cosmética Ativa, o Flex Work interfere positivamente  na produção. Ela afirma que o programa conseguiu se adaptar para a realidade da área.

“A iniciativa nos permite equilibrar a alta carga de trabalho que temos. Trabalhar de casa também nos permite ter momentos específicos para focarmos em análises e, assim, termos uma produtividade maior no dia a dia”.

Veja mais:

Fábrica de Startups abre as portas no Porto

Empresas fecham parcerias estratégicas na Região Portuária

Amil troca a Barra pelo Vista Guanabara, no Porto

Olivia Ferreira, do time de Recursos Humanos, foi uma das responsáveis pela elaboração e implementação do projeto. Ela chama atenção para o fortalecimento entre a equipe que o Flex Work gerou.

“A partir do momento em que empoderamos os colaboradores e incentivamos o elo de confiança entre os times, nos fortalecemos como companhia. Assim, colocamos na prática o conjunto de valores que queremos implementar na L’Oréal Brasil”, opina.

Desembarque no porto

Em agosto de 2017, a companhia francesa atracou a nova sede no Porto Maravilha, levando cerca de 800 funcionários para movimentar a economia da região. Ela ocupa 19 dos 22 andares de um prédio recém construído. Agora, o local ganha ainda mais força com a gigante Amil fechando o aluguel de pelo menos seis lajes corporativas no edifício em frente.

Mais de 2.500 trabalhadores reforçarão a ocupação da esquina tão promissora. O cruzamento das avenidas Barão de Tefé e Venezuela, além de abrigar as duas gigantes, é também a divisa dos bairros da Saúde e Gamboa. Fica colado ao ponto histórico mais importante da região, o Cais do Valongo, local de desembarque de escravos no século 19.


/