Petróleo e Gás

Firjan lança guia para empresas retomarem atividades

Com recomendações e orientações para garantir a segurança e a saúde, guia da Firjan sugere a adoção de novas rotinas por empresas de vários setores

3 de junho de 2020
Plataforma de petróleo no RJ: Firjan lança guia pós-pandemia

Compartilhe essa notícia:


De olho no retorno das atividades econômicas interrompidas pela pandemia, a Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) lançou um guia com medidas práticas para as empresas. O foco é na saúde e na segurança de trabalhadores de áreas como construção naval, óleo e gás, além de outros sete setores. 

O Guia de Orientações para a Retomada Segura das Atividades Industriais, segundo Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, presidente da Firjan, “oferece diretrizes para a volta da produtividade plena com a preservação de empregos e a construção de um novo ambiente”.

O material é parte do Programa Resiliência Produtiva Firjan e tem como base as diretrizes da Legislação para prevenção dos malefícios do coronavírus. Com dez tópicos, tem recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), informações da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e outras orientações para os empregadores.

Segundo Karine Fragoso, Gerente de Petróleo, Gás e Naval da Firjan, as informações são baseadas nas experiências de empresas no exterior que estão retomando as atividades para o capítulo de óleo e gás.  “Nesse momento de maior atenção à saúde dos indivíduos e de grande retração econômica, se faz ainda mais necessário o cuidado para o respeito às recomendações que protegem os trabalhadores e seus empregadores”.

José Luiz Pedro de Barros, gerente de Saúde e Segurança do Trabalho da Firjan, reforça que a retomada não será uma volta do que era antes. As empresas, segundo ele, terão que aprender novos procedimentos e uma rotina de trabalho diferente: “O objetivo do documento é orientar o empresário para o retorno seguro dos empregados e da produção, sem contribuir com os números da Covid-19.”

O Guia aconselha que as empresas atentem sete diretrizes principais, que levam em conta três bases:

  1. Adequação no ambiente de trabalho, que trata de desinfecção e limpeza; sinalização e adequação de layouts em ambientes de uso coletivo para manter o distanciamento; medidas administrativas; comunicação, treinamento e orientações
  2. Novas rotinas de trabalho em tempos de Covid-19, que orienta sobre uso de máscara ou outro tipo de proteção facial; higienização pessoal; alterações emocionais e saúde mental; e mudança do horário dos turnos ou redução de jornada, para atender as necessidades de distanciamento social;
  3. Ciclo de cuidado com as pessoas, que orienta sobre imunização dos trabalhadores para outras doenças como sarampo e influenza; monitoramento da saúde dos trabalhadores assintomáticos; manejo para identificação de casos suspeitos; acompanhamento do retorno ao trabalho de infectados recuperados; e exames diagnósticos.

 O Guia leva em conta as características de cada setor produtivo e aponta medidas específicas. As orientações para distanciamento físico e para lidar com grupos de riscos (acima de 60 anos ou comorbidades) são diretrizes em comum para todos setores. Além disso, medidas para fortalecer o isolamento social, como possibilidades de adequação de turnos, também estão no material.

As orientações estão divididas pelos seguintes setores: Óleo e Gás; Alimentos e Bebidas; Construção Civil; Construção Naval; Metal Mecânico; Papel, Gráfica e Editorial; Confecção, Têxtil e Moda; Extração Mineral; Audiovisual; e Demais Setores em Geral.

Disponível para download, o Guia foi desenvolvido pela Gerência Institucional de Saúde e Segurança do Trabalho (GSS) em parceria com a Gerência de Saúde e Segurança do trabalho (GSA) da Firjan.