Fiocruz quer vacinar população de Paquetá para estudo | Diário do Porto

Saúde

Fiocruz quer vacinar população de Paquetá para estudo

Cientistas sugerem e prefeitura topa repetir na Ilha de Paquetá a experiência de Serrana (SP), onde toda a população com mais de 18 anos foi vacinada

31 de maio de 2021


Com pouco mais de 4 mil habitantes, Paquetá pode ser o primeiro lugar com vacinação em massa do RJ (Alexandre Macieira/Riotur)


Compartilhe essa notícia:


Não é para agora, mas a Ilha de Paquetá tem tudo para se tornar o próximo grande laboratório de vacinação maciça contra a Covid-19. O comitê científico da cidade do Rio aprovou nesta segunda-feira a proposta de vacinar toda a população da ilha para avaliar os efeitos da imunização em larga escala. A experiência foi feita na cidade paulista de Serrana, e os resultados foram muito positivos.

Protocolos ainda não estão definidos, mas já se sabe que, se o projeto for mesmo concretizado, a população continuará a ser estimulada a adotar medidas de prevenção mesmo após a vacinação completa. O estudo deve ser aprovado pelo Ministério da Saúde e será acompanhado pela Fiocruz.

 


LEIA TAMBÉM:

Torres da Cury Rio no Porto terão imóveis a partir de R$ 195 mil

Sesc RJ Na Estrada mostra homenagem ao Almirante Negro

RJ pode atrair projetos de energia eólica em alto-mar


 

A data estimada para a apresentação dos detalhes do projeto é 5 de julho. Por enquanto, segundo o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, é “um ponto na pauta da prefeitura”, sugerido por pesquisadores da Fiocruz e outros institutos.

A Ilha de Paquetá só é acessível por embarcações da CCR Barcas. A ilha tem pouco mais de 4 mil habitantes, que se ressentem da redução de horários das viagens imposta pela CCR e do abandono da própria prefeitura. Paquetá é considerado um bairro do Centro da Cidade e acumula 263 casos confirmados da Covid-19, com 12 mortes.

Vitória em Serrana

Em Serrana, com 45 mil habitantes, estudo semelhante foi feito pelo Instituto Butantan, e o índice de mortes após a vacinação em massa caiu 95%. A vacinação foi feita em todas as pessoas com mais de 18 anos, usando a CoronaVac. O número de casos passou de 699 em março para 251 em abril. Os casos sintomáticos caíram 80%; os de hospitalização, 86%.