Evento

Festival de cultura afro no feriado da Consciência Negra

Festival de cultura afro toma conta da cidade com eventos para reflexão. O intuito é pregar a tolerância e o respeito a religiões de matriz africana

15 de novembro de 2018
Festival celebra liberdade religiosa, tolerância e diversidade (Foto: divulgação)

Compartilhe essa notícia em sua rede social:
Festival celebra liberdade religiosa, tolerância e diversidade (Foto: divulgação)
Festival celebra liberdade religiosa, tolerância e diversidade (Foto: Divulgação)

A semana da Consciência Negra é o momento de refletir sobre tolerância e respeito à diversidade cultural e religiosa. Pensando nisso, o Grupo Pan Africano de Pesquisa Estratégica e Política (PANAFSTRAG) promoverá o Festival Global Cultural de Povos Tradicionais – Africanos e Afro-diaspóricos.

Aberto nesta segunda (19), o evento acontece também nesta terça e quarta-feiras (20 e 21). A programação se espalha por quatro endereços: IFCS/UFRJ, Arquivo Nacional, UniRio e Teatro João Caetano. Figuras do Carnaval, como Milton Cunha e Laíla, marcam presença.

“Em um momento em que as religiões de matrizes africanas vem sofrendo perseguições de todos os lados, ter um festival que valoriza as identidades negras é fundamental para a fortalecimentos das nossas resistências contra a intolerância religiosa no Brasil”, afirma o babalawô Ivanir dos Santos. “É fundamental que nesse momento estejamos todas e todos juntos para a celebração de nossas culturas e tradições”, completa o professor.

PROGRAMAÇÃO

Jongo da Serrinha apresenta o show “Vida ao jongo” (Foto: Divulgação)
Jongo da Serrinha apresenta o show “Vida ao jongo” (Foto: Divulgação)

Terça-feira, 20

IFCS/UFRJ
10h às 12h – Mesa Herança da Espiritualidade Africana, no Salão Nobre. A mediadora é a Inêz Calfa. As palestras são de Yalorixá Maria de Xangô, Katya Gualter e Celina Batalha.

14h às 16h – Mesa Saúde e Cultura Afro-Brasileira e Indígena, também no Salão Nobre. O mediador é Luiz Henrique Chad Pellon (UNIRIO). Palestras de Antonio Marcos Tosoli Gomes (UERJ), Nilton Souza da Silva (UFRRJ) e Anapuaka Tupinambá (Radio Yandê).

16h às 17h30 – Roda de conversa com o Ogã Bangbala. Ogã é o nome que se dá a determinadas funções masculinas dentro de um terreiro de candomblé. Tanto na língua iorubá quanto na jeje, o termo refere-se a “chefe” ou “pessoa superior”. É o escolhido para estar lúcido durante os rituais religiosos. Ogã Bangbala dedica-se, há mais de 70 anos, a preservar e difundir o candomblé e a defender as tradições de matriz africana.

TEATRO JOÃO CAETANO
19h às 21h – CORPOralidades Negras: Festival de performances com diversos grupos.

Quarta-feira, 21

ARQUIVO NACIONAL
10h às 12h – Mesa Corpo Afro-diaspórico, no Auditório principal. A mediação é de Tatiana Damasceno. A palestra é dos professores Denise Zenícola, Ana M. Canavarro Benite e Éle Semog.

10h às 12h – Mostra de Curtas e Médias, seguido por roda de conversa.

14h às 16h – Mesa: Criação do Mundo Segundo os Fons, Bantos e Iorubás, no Auditório principal. Mediação de Helena Theodoro e palestra de Milton Cunha, Laila (Beija-flor) e Severo Luzardo Filho (União da Ilha).

14h às 16h – Mostra de Curtas e Médias, seguido por roda de conversa.

16h30 às 18h –  Jongo de Pinheiral, no Teatro de Arena do Arquivo Nacional.

TEATRO JOÃO CAETANO

19h às 21h – Tamborzada: Companhia Folclórica do Rio 30 anos.
Coordenada por Eleonora Gabriel, a Companhia Folclórica do Rio – UFRJ comemora seus 30 anos de existência. Reunindo 40 artistas, entre músicos, dançantes e artistas plásticos, Tamborzada mostra com quantos batuques se faz a cultura do Brasil.

Unirio
10h às 12h – Mesa Políticas públicas de acervos arquivísticos dos povos afro-brasileiros e indígenas. Mediação de Flávio Leal Silva (UniRio). Palestrantes: Carla Lopes, Maria do Carmo Teixeira Rainho e Gabriel Cid.

Compartilhe essa notícia em sua rede social: