Feminicídio em pauta no Teatro Caixa

Espetáculo “Por Elas” aborda histórias reais de violências sofridas por mulheres. Nova temporada compõe campanha internacional e tem reflexão sobre machismo

Peça "Por Elas" aborda histórias reais
“Por Elas” provoca reflexão sobre o machismo e a violência contra mulheres (Foto: Marcelo Carnaval)

Histórias reais e impactantes de feminicídio norteiam o texto do espetáculo “Por Elas”, que volta aos palcos do Rio após o sucesso da primeira temporada. Desta vez é no Teatro de Arena da Caixa Cultural, de 5 a 20 de dezembro. A programação faz parte da agenda da campanha internacional “16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres”. Em paralelo à peça, nos dias 12 e 13 de dezembro, serão realizados debates com profissionais que trabalham com a causa.

Na nova temporada, o debate sobre a equidade de gênero continua sendo o ponto principal. A proposta da diretora Sílvia Monte, responsável pelo texto em parceria com Ricardo Leite Lopes, é cooperar para a prevenção da violência doméstica e do feminicídio. Sob inspiração de histórias reais, cada uma das sete personagens femininas representa a opressão vivida por tantas mulheres brasileiras. A figura masculina evocada na lembrança provoca a reflexão do que o homem representa para elas em uma sociedade patriarcal e machista.

LEIA MAIS:

“Não sou mulher de perder luta”, diz secretária de Cultura

Mais de 175 mil já viram Basquiat no CCBB. E você?

Os 5 bares históricos mais badalados do Centro do Rio

“A questão da violência contra a mulher é um tema que não pode deixar de ser pensado na arena da dramaturgia brasileira. O teatro, ao representar os conflitos e as ambiguidades do humano, acolhe e aproxima – de forma menos cruel – as pessoas da realidade. O espetáculo se propõe a ser um espaço de comunicação, sensibilização e visibilidade para o fenômeno da violência de gênero. Precisamos pensar sobre essa questão, e o teatro é um lugar ideal para atingir mentes e corações”, defende Sílvia.

Histórias reais de violências sofridas por mulheres inspiraram o texto da obra “Por Elas” (Foto: Marcelo Carnaval)

Na primeira temporada de “Por Elas“, realizada em agosto, o espetáculo recebeu mais de mil pessoas em 20 sessões. Diversas mulheres da plateia procuraram as atrizes e a diretora para relatar casos de violência doméstica que sofriam, como assédio, exploração sexual, estupro, tortura, violência psicológica, perseguição e agressões por parceiros ou familiares.

Os estudos e pesquisas usados na elaboração da peça partiram de fontes diversas: processos judiciais, teses, artigos, estatísticas, notícias veiculadas nas mídias. Em paralelo a isso, foram realizados encontros com profissionais do direito e da saúde que trabalham com mulheres vítimas de violência doméstica, e a escuta de relatos de pessoas conhecidas, colegas, amigas e familiares.

SERVIÇO

Por Elas -Teatro de Arena da Caixa Cultural

Classificação indicativa: 14 anos.

De 5 a 20 de dezembro, de terça-feira a domingo, às 19h.

Ingressos: R$15,00 e R$30,00

Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca)

Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 13h às 20h.

DEBATES

“POR ELAS e COM ELAS – No enfrentamento à violência de gênero”.

12/12, quarta-feira

Tema: “Violência contra as mulheres, ciclo da violência e feminicídio”

Ministrantes: Adriana Ramos de Mello – Juíza de Direito, Titular do 1º Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro – e Leila Linhares – Advogada, diretora da ONG CEPIA (Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e Ação), representante brasileira no Mecanismo de Acompanhamento da Implementação da Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher.

13/12, quinta-feira

Tema: “Mulheres – Equidade de gêneros, direitos humanos e cidadania”

Ministrantes: Jacqueline Pitanguy – Socióloga e cientista política, fundadora e diretora da ONG CEPIA (Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e Ação); e Schuma Schumaher, pedagoga e ativista feminista, Coordenadora Executiva da ONG REDEH (Rede de Desenvolvimento Humano) e integrante da Articulação de Mulheres Brasileiras.

Das 16h30 às 18h30

Classificação indicativa: 14 anos

Entrada gratuita, com distribuição de senhas uma hora antes.

Todas as Notícias