Fecomércio RJ mostra que contas pesam mais para as famílias | Diário do Porto


Economia

Fecomércio RJ mostra que contas pesam mais para as famílias

Pesquisa da Fecomércio RJ aponta efeitos da crise econômica entre moradores do Rio. Cresce intenção de parcelar pagamento de despesas fixas, como IPTU

25 de janeiro de 2021

Fecomércio RJ mostra que 58,2% das famílias não fizeram reserva para pagamento de despesas no início do ano (foto: Agência Brasil)

Compartilhe essa notícia:


Pesquisa do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ) mostra que cresceu em 28% o número de contribuintes do Rio que vão parcelar o pagamento do IPTU, deixando a modalidade do pagamento à vista com desconto. O aumento é um exemplo dos efeitos da crise econômica sobre os orçamentos das famílias, no início do ano.

A sondagem da Fecomércio RJ ouviu 425 contribuintes, que são uma mostra do universo de moradores do Estado do Rio de Janeiro, com o objetivo de obter informações relativas às despesas das famílias no início de ano e a forma como estas serão pagas, além das expectativas para o ano de 2021.

A redução da atividade econômica está causando uma queda significativa na renda das famílias, especialmente as mais vulneráveis. Dos consumidores entrevistados pela Fecomércio-RJ, 58,2% afirmam que não fizeram reserva em 2020 para pagamento das despesas fixas e extras do início do ano, como IPTU, IPVA, material e matrícula escolar.

Fecomércio aponta aumento do parcelamento de despesas

Em relação ao IPTU, o parcelamento será feito por 50,4% dos entrevistados, percentual 28% maior do que o registrado em 2020. Outros 26,1% não terão esse gasto e 23,5% pretendem pagar à vista.

O levantamento da Fecomércio RJ apontou também que o IPVA será parcelado por 43,1% dos consumidores. Já 36,2% não irão pagar esse imposto e 20,7% pretendem quitar à vista.

Para o pagamento da matrícula escolar, 18,8% têm a intenção de pagar à vista e 14,4% pretendem parcelar. Já o material escolar deve ser parcelado por 27,5% dos consumidores, 13,9% pretendem pagar à vista e 58,6% não pretendem ter esse gasto neste ano.

 


LEIA TAMBÉM

Amazul quer R$ 2,7 bilhões para novo reator nuclear

CCBB Rio apresenta a exposição da japonesa Chiharu Shiota

Petrobras reforma sua sede e cria espaço para startups

 


/