Fecomércio RJ apoia lojistas em vendas pela internet | Diário do Porto

Especial

Fecomércio RJ apoia lojistas em vendas pela internet

Projeto Loja Online, da Fecomércio RJ, usa a plataforma Convem para que comerciantes iniciem seus negócios na internet e possam superar a crise da pandemia

27 de abril de 2021
Fecomércio RJ auxiliou Renata Santos Campanati, da Triesportiva, a abrir loja on-line (foto Divulgação)


Compartilhe essa notícia:


Há uns bons anos que o comércio eletrônico vem mudando a vida de consumidores e o planejamento dos lojistas. As restrições impostas pelo combate ao novo coronavírus deu a essa transformação uma velocidade inimaginável. Atenta à aceleração, a Fecomércio RJ (Federação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) apostou em um projeto de apoio à transição para a realidade virtual que tem levado esperança e confiança no futuro aos empreendedores: o Loja Online.

Por meio da plataforma Convem, o projeto Loja Online já motivou centenas de empresários a manterem seus negócios e, principalmente, turbinar as vendas. Foi o que empurrou a loja Triesportiva, na cidade fluminense de Três Rios, para o sucesso. A dona do empreendimento, Renata Santos Campanati, 47 anos, uma das primeiras a aderir ao projeto da Fecomércio RJ, diz que a decisão mudou sua vida.

“A pandemia tem sido terrível para a sociedade e para o comércio. Foi nesse cenário desafiador que eu comecei minha loja virtual apoiada pela Convem. Hoje eu vendo muito mais do que antes e agradeço à Fecomércio RJ pela oportunidade”, afirma.

Correios têm recorde de encomendas

Movimentos como o de Renata, de apostar na venda remota, têm levado os Correios a baterem recorde de entregas. Segundo o portal E-commerce Brasil, foram mais de 9,6 milhões de encomendas entregues na semana de 12 a 16 de abril. O número é recorde, superando a Black Friday de 2020, quando foram despachadas cerca de 9,5 milhões de encomendas.

Já no ano passado, o primeiro da pandemia, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) detectava que, entre abril e setembro, 11,5 milhões de pessoas tinha feito sua primeira compra virtual. É muita gente. A Associação também registrou que mais de 150 mil lojas online foram abertas naquele período. A de Renata foi uma delas.

Moda e decoração online

A lojista de Três Rios – e, agora, do mundo – relata que a Convem a apoiou em todo o processo. “Foram muito atenciosos e me ajudaram a fazer a transição do meu catálogo de produtos para a loja virtual. Tudo foi rápido e simples”, descreve. Renata tinha só uma loja física em um shopping, mas, com a plataforma, passou a vender para várias cidades da região e até para a capital do Estado.

A plataforma ganhou a adesão de vários setores do comércio. No fim do ano passado, abriu um espaço especial para moda e decoração. A ferramenta Loja Online Fashion apresenta layout voltado para esses segmentos, ajudando na gestão do catálogo de produtos e categorias, no disparo de e-mail para clientes e na criação de cupons de desconto, entre outros benefícios.

E-book da Fecomércio RJ orienta lojistas no mundo virtual

Para usar a ferramenta e a assessoria da Convem, os comerciantes têm o custo de R$ 250,00 na adesão e uma taxa de 3% sobre o valor das vendas. O lojista só paga pelo serviço se a venda for concretizada. “Não se trata de mais um custo fixo a impactar o negócio”, explica Renata.

Para apoiar ainda mais os primeiros passos no mundo dos negócios virtuais, a Fecomércio RJ criou um e-book chamado Os três pilares para o sucesso da sua loja online, com dicas para os empresários incrementarem as vendas por meio do e-commerce.

A publicação deixa claro para os comerciantes, entre outras dicas, que divulgação, bom atendimento e atualização de catálogos e mix de produtos são requisitos essenciais no novo mundo dos negócios na internet.

Presidente da Fecomércio RJ aponta para nova era

Antonio Florencio de Queiroz Junior
Presidente da Fecomércio RJ aponta vantagens do virtual para o lojista (Divulgação)

 

O presidente da Fecomércio RJ, Antonio Florencio de Queiroz Junior, aponta para uma nova era na relação entre clientes e empresários. É de suma importância, segundo ele, que “os comerciantes do Estado aproveitem esta ferramenta para potencializar suas vendas e ter acesso a informações que a venda física nem sempre proporciona”.

“A loja online permite que o empresário conheça melhor o perfil de consumo de cada cliente, e por isso é fundamental que as lojas estejam adaptadas neste novo cenário, onde o e-commerce ganha cada vez mais força”, ressalta o presidente da Fecomércio RJ.

 

Página na internet do Mercado Bambina,
Página on-line criada pela Convem para o Mercado Bambina, em Botafogo

 

O Mercado Bambina, em Botafogo, na Zona Sul do Rio, é um dos negócios que estão aproveitando a plataforma Convem para atender a clientela e expandir vendas na pandemia. Fundado em 1964 por dois portugueses que vieram em busca de uma vida melhor no Brasil, o negócio se modernizou com o comércio eletrônico, mas não perdeu a aura de um negócio familiar, um mercado de bairro com atendimento personalizado.

 

 

Luiggi Senna da Convem
Luiggi Senna diz que o e-commerce vai crescer mesmo depois da pandemia (foto: Divulgação)

 

Luiggi Senna, fundador da Convem, descreve como funciona a ferramenta. “Graças à parceria com a Fecomércio RJ, pudemos ouvir empresários e construir uma plataforma mais adequada às suas necessidades. Os lojistas têm acesso a funcionalidades que os ajudarão a vender online, a promover seus produtos e a se comunicar melhor com seus clientes. E teremos novidades muito atrativas em breve”, promete.

Senna acredita que o comércio eletrônico é uma realidade que veio para ficar, mesmo após a superação da pandemia. “É preciso que os comerciantes continuem a investir no bom atendimento on-line, pois é um instrumento multiplicador de vendas. No mesmo tempo em que se atende clientes em uma loja física, é possível realizar muito mais operações de venda no e-commerce”.

Para saber mais, acesse http://www.fecomercio-rj.org.br/lojaonline


LEIA TAMBÉM:

Sebrae Rio vai capacitar 200 mulheres empreendedoras

Investimentos no Rio podem chegar a R$ 150 bi, diz Governo

VW inicia a produção do caminhão elétrico, em Resende