Exposição retrata abandono de praias e ilhas do subúrbio do Rio | Diário do Porto


Exposição

Exposição retrata abandono de praias e ilhas do subúrbio do Rio

A exposição “Domingos de Sol”, que fica até dia 18 de setembro no Museu da Escravidão e da Liberdad (MEL), na Gamboa, faz um passeio entre as memórias das praias e ilhas que existiam no litoral do subúrbio carioca e suas paisagens transformadas durante as últimas décadas

16 de agosto de 2018

Banhistas no Piscinão de Ramos, zona norte do Rio de Janeiro, Brasil

Compartilhe essa notícia:


<em>Foto de Francisco Valdean mostrando família e amigos a Ilha do Governador, é uma das que estarão na mostra (Divulgação)</em>
Foto de Francisco Valdean mostrando família e amigos a Ilha do Governador, é uma das que estarão na mostra

São Cristóvão, Caju, Inhaúma, Manguinhos, Ramos, Olaria, Ilha do Governador ainda estão presentes no conjunto de bairros da cidade. Suas praias e ilhas desapareceram ou estão mergulhadas em processos de profunda degradação ambiental. É o que mostra, de 18 de agosto a 18 de setembro, a exposição ‘Domingos de Sol’ no Museu da Escravidão e Liberdade (MEL), na Gamboa, propondo pontes no tempo por meio de lembranças das praias do Recôncavo da Baía de Guanabara.

Composta por fotografias, documentos, vídeos e instalações, a exposição articula obras de acervos históricos e documentações contemporâneas, resgatando o imaginário popular das praias do subúrbio e sua dinâmica sócio-cultural e econômica: o trabalho dos pescadores, o carnaval, o lazer, os piqueniques em famílias, festas, desfiles, comemorações religiosas… Tudo isso mesclado com o descaso ambiental e a degradação urbana desses importantes espaços de lazer.

A mostra, que fica até 18 de setembro no MEL, com entrada gratuita, faz um passeio entre as memórias das praias e ilhas que existiam no litoral do subúrbio carioca e suas paisagens transformadas durante as últimas décadas. Neste percurso, destaca-se a potência destes espaços para se manterem como lugares de encontros e promoverem manifestações populares, mesmo em meio a tantas mudanças.

A abertura da mostra, neste sábado (18), terá uma roda de conversa, às 14h, com o professor Jorge Luiz Barbosa, o pesquisador Diogo Cunha e os fotógrafos Bira Carvalho e Francisco Valdean (Imagens do Povo/Observatório de Favelas), além da secretária de Cultura do Rio de Janeiro, Nilcemar Nogueira. Inscrições por ordem de chegada no local.

Mais sobre a mostra

A mostra é resultado do trabalho dos pesquisadores Diogo Cunha e Ana Thereza de Andrade Barbosa, sob os cuidadosos olhares dos fotógrafos: Ubirajara Carvalho e Francisco Valdean. Participam também as fotógrafas Márcia Farias, Rosilene Milioti e Elisângela Leite. A mostra também está em cartaz no Galpão Bela Maré, na Maré, onde foi prorrogada até 1 de setembro.

Os resultados do projeto nesta exposição, contaram com a colaboração do Arquivo Público de São Paulo, da Biblioteca Nacional, do Museu de Imagem e do Som, do Arquivo Nacional, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, do Arquivo Geral do Rio de Janeiro e da Fundação Oswaldo Cruz.

Serviço:

Exposição ‘Domingos de Sol’

Museu da Escravidão e da Liberdade

Rua Pedro Ernesto 80, Gamboa

De 18 de agosto a 18 de setembro

De terça a sábado, das 10h às 17h

Entrada gratuita

Tel. (21) 2233-7754

 


/