Estácio se muda para antigo prédio da Golden Cross | Diário do Porto


Educação

Estácio se muda para antigo prédio da Golden Cross

Universidade Estácio desativará os campi João Uchoa e Praça XI e levará 8 mil alunos para prédio no Maracanã. Golden Cross se muda para a Barra da Tijuca

30 de maio de 2021

Antigo prédio da Golden Cross vai sediar super-campus da Estacio Maracanã (Foto-wikipedia)

Compartilhe essa notícia:


Com 18 andares e 16.600 metros quadrados de área construída, o imponente prédio da Golden Cross, localizado na Rua Morais e Silva 40, divisa entre os bairros Maracanã e Tijuca, receberá investimento de R$ 20 milhões para se tornar um campus gigante da Universidade Estácio. A operação foi anunciada esta semana e o Super Campus Estácio Maracanã começa a operar no segundo semestre, com a transferência de mais de 8 mil alunos dos campi João Uchoa e Praça XI, que serão fechados até o final do ano.

Criado para sediar inicialmente um curso de Direito, o Campus João Uchoa funciona há 51 anos no Rio Comprido e deu origem às outras 90 unidades da Estácio no país. “A instituição já está avaliando junto a parceiros estratégicos, projetos futuros para o imóvel do João Uchôa. Esses planos serão comunicados oportunamente”, informou. Já a Unidade Praça XI, na Cidade Nova, será entregue ao atual proprietário. Até o início da transferência, que está prevista para ocorrer ao longo do segundo semestre, a operação continua funcionando normalmente.

estacio-campus-joao-uchoa-jpg
Campus João Uchoa, no Rio Comprido, que deu origem às outras 39 unidades da Estácio no país, será desativado (Foto: Reprodução de internet)

Já a Golden Cross, que completa 50 anos em 2021, trocou sua tradicional sede na Morais e Silva por um prédio de 4 mil m², distribuídos em quatro andares, em localização estratégica na Avenida Armando Lombardi, uma das principais vias da Barra da Tijuca, na Zona Oeste da cidade. Iniciada em abril, a mudança para o novo imóvel será concluída em junho.

Pesaram na decisão da Estácio as vantagens relativas à segurança pública e mobilidade urbana. Pesquisa mostrou que a mudança é favorável para 97% dos alunos, que têm o metrô, trem e ônibus como principais meios de locomoção para a universidade. Segundo a universidade, todas as orientações sobre a mudança para o novo campus serão comunicadas aos alunos, colaboradores e docentes.


LEIA TAMBÉM

Bacia de Campos tem promessa de R$ 13,2 bi em investimentos

Compradores do Moinho Fluminense investem em prédios comerciais

Compra de imóveis tombados ganha incentivo da Alerj


Como será o novo campus

Imagem de perspectiva do campus gigante da Estácio no antigo prédio da Golden Cross (Foto: Divulgação)

Com capacidade para receber mais de 10 mil alunos, o prédio tem potencial para ser o maior campus da Estácio no Brasil e ofertará mais de 120 cursos nas modalidades presencial, semipresencial, digital, flex e pós-graduação, com destaque para as graduações de Odontologia e Medicina Veterinária, que serão ofertadas pela primeira vez na Zona Norte.

“A Estácio tem um trabalho contínuo de monitoramento de oportunidades, sempre visando melhorar instalações e oferecer melhores condições de infraestrutura, segurança, transporte e serviço para seus alunos. O novo campus Maracanã, muito bem localizado, próximo às principais vias de transporte e comércio da região, será um marco para a Estácio no Rio de Janeiro”, comemora Adriano Pistore, vice-presidente de Operações Presenciais da Estácio.

Segundo ele, a nova unidade terá salas de aula modernas e já adaptadas para uso de tecnologia, laboratórios novos, auditórios e contará ainda com uma ampla área de lazer e convivência, com serviços e alimentação, não só para alunos, mas para toda a região. Na praça de alimentação, o campus terá um espaço aberto e moderno com restaurantes, bikefoods, foodtrucks, co-work e academia, entre outros serviços. O objetivo é transformar o espaço no principal polo comercial da região, com um mix que atenda os diferentes públicos.


/